Do Zero ao Gain Uma aula gratuita com André Moraes sobre gerenciamento de risco, stop, alvo e tamanho de capital

Uma aula gratuita com André Moraes sobre gerenciamento de risco, stop, alvo e tamanho de capital

Radar InfoMoney

Justiça interdita minas da Vale em Itabira e minério supera US$ 100, Petrobras bate recorde de exportação de óleo combustível e mais notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta segunda-feira (8)

A notícia em destaque no radar corporativo no início de semana é a suspensão das operações do complexo de mineração de Itabira (MG) da Vale, atendendo a determinação da Justiça do Trabalho. O local tem uma produção mensal de 2,7 milhões de toneladas de minério de ferro. Com isso, o minério de ferro ultrapassa US$ 100 a tonelada.

A Vale informou que, apesar da suspensão, não é necessária revisar a projeção de produção de minério para o ano. Isso porque a empresa já tinha feito uma provisão relacionada à pandemia do coronavírus de 15 milhões de toneladas. Ainda assim, pode ocorrer um “desabastecimento temporário de pelotas para o mercado interno”, o que atingiria as siderúrgica do complexo de Tubarão. Com essa notícia,

Enquanto isso, a Petrobras anunciou que as exportações de óleo combustível subiram 231% em maio.

PUBLICIDADE

Já a SulAmérica divulgou acordo para a compra da operadora de planos de saúde Paraná Clínicas por 385 milhões e a BK Brasil, que opera o Burger King no Brasil, garantiu um empréstimo de R$ 150 milhões com o Bradesco.

A Linx e a Vulcabrás anunciam o balanço após o fechamento dos mercados. Confira os destaques:

Vale (VALE3)

A Justiça do Trabalho determinou a suspensão das operações do complexo de mineração de Itabira (MG) da Vale, que tem uma produção mensal de 2,7 milhões de toneladas de minério de ferro.

A medida contribui para a elevação do preço do minério de ferro no exterior e deve contribuir para o desempenho das ações da mineradora.

A Vale informou que, apesar da suspensão, não é necessária revisar a projeção de produção de minério para o ano. Isso porque a empresa já tinha feito uma provisão relacionada à pandemia do coronavírus de 15 milhões de toneladas.

Ainda assim, pode ocorrer um “desabastecimento temporário de pelotas para o mercado interno”, o que atingiria as siderúrgicas do complexo de Tubarão.

PUBLICIDADE

Para os analistas do Morgan Stanley, a Vale tem condições de retomar a operação do complexo ainda no curto prazo, precisando apenas adotar as medidas sanitárias definidas pelas autoridades trabalhistas, que tem o avanço da Covid.

“Além disso, o fato de a taxa de mortalidade em Itabira ser muito baixa (apenas uma vítima relatada até o momento), acreditamos que a posição da Vale no caso permanece sólida”, explicaram em relatório. Veja mais clicando aqui.

Já o Credit Suisse acredita que o avanço do preço do minério de ferro pode compensar a suspensão da produção em Itabira.

Nas contas dos analistas, cada dólar a mais no preço da tonelada tem um potencial de incrementar o Ebitda em US$ 300 milhões no (tendo como base a projeção de embarques de minério de ferro da Vale). Já as perdas pelo fechamento do complexo de Itabira devem chegar a no máximo US$ 160 milhões.

“No final das contas, o impacto deve ser positivo no balanço da Vale. Acreditamos ainda que o complexo não deve ficar fechado até o final do ano”, avaliaram.

Ainda em destaque, a Polaris Shipping, proprietária do navio Stellar Banner, que encalhou na costa do Maranhão há três meses durante transporte de minério de ferro da Vale para a China, decidiu afundar a unidade após relatórios de inspeções estruturais realizadas por representantes da sociedade classificadora do navio.

Segundo a Marinha, o afundamento deverá ser feito em águas profundas, a 150 quilômetros da costa maranhense e o navio já está sendo preparado para evitar danos ao meio ambiente. Estão sendo retirados resíduos oleosos, bem como objetos flutuantes ou de contaminantes a bordo. Veja mais aqui.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras bateu novo recorde na exportação de óleos combustível. A empresa exportou 1,11 milhão de toneladas de óleo combustível em maio, superando em 10% o recorde anterior, atingido em fevereiro deste ano. A informação foi divulgada em nota na sexta-feira (5).

PUBLICIDADE

Segundo a companhia, a quantidade exportada de óleo combustível foi 231% superior ao volume exportado em maio do ano passado.

“É importante destacar que, em 01/01/2020, entrou em vigor a nova especificação mundial dos combustíveis marítimos (IMO 2020), que reduziu de 3,5% para 0,5% o limite de teor de enxofre no óleo combustível, o que tem gerado uma oportunidade única para a Petrobras, que produz petróleo e óleo combustível com baixo teor de enxofre”, explicou a estatal.

De acordo com a companhia, o recorde das exportações ocorre em um período desafiador da economia mundial com redução da demanda global por petróleo e derivados ocasionada pela pandemia da covid-19.

A estratégia de diversificação dos destinos das exportações de óleo combustível, segundo a Petrobras, tem se mostrado eficaz na captura de maior participação no mercado externo.

“O recorde alcançado reflete o resultado das ações tomadas durante a crise para retornar a produção da área de Exploração e Produção e readequar as cargas de refino focando nos produtos que maximizam a margem da companhia sem pressionar os estoques”, concluiu a nota.

Ainda em destaque, está o resultado da reunião da Opep+ no último fim de semana. Os analistas do Credit Suisse destacaram o cronograma dos cortes. Além da extensão da suspensão da produção de 9,6 milhões de barris ao dia até julho, o corte cairá para 7,7 milhões até o final do ano e, depois, 5,7 milhões de barris na produção diária até abril de 2022.

Nesse acordo, Iraque, Nigéria, Angola e Cazaquistão garantiram que compensariam um eventual excesso de produção em maio e junho com restrições acionais em julho e setembro.

Reforçaram, ainda, que “o comitê de monitoramento vai se reunir em 18 de junho e poderá recomendar a extensão da cota de corte de produção até agosto”.

JBS (JBSS3)

PUBLICIDADE

O juiz do trabalho Marcelo Silva Porto, da 6ª Vara de Caxias do Sul, determinou na sexta à noite a interdição do frigorífico da JBS no município de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.

O abatedouro de suínos ficará interditado por 14 dias.

SulAmérica (SULA11)

A SulAmérica divulgou acordo para a compra da operadora de planos de saúde Paraná Clínicas. O acordo foi fechado com a Rede D’Or no valor de R$ 385 milhões.

Com a aquisição, a SulAmérica passa a ter um negócio com rede própria, uma vez que a operadora de planos de saúde comprada é dona de centros clínicos e um hospital dia, além de uma carteira com 90 mil usuários e uma receita de cerca de R$ 200 milhões, segundo informou o jornal “Valor Econômico”.

Na avaliação dos analistas do Bradesco BBI, a aquisição é importante porque a aquisição permite à SulAmérica ampliar sua atuação em um segmento de menor ticket médio, o mesmo da Hapvida e Grupo NotreDame Intermética.

“O acordo está dando um passo em direção à criação de um ambiente perfeito para a SulAmérica testar seu sistema de verticalização virtual, que é principalmente com base na estrutura “Cuidado Coordenado”, centrada na atenção primária, reduzindo o uso excessivo do plano e mantendo as reivindicações contidas”, avaliaram os analistas.

Burger King (BKBR3)

A BK Brasil, que opera os restaurantes da rede Burger King no Brasil, anunciou a contratação de um empréstimo de R$ 150 milhões com o Bradesco.

O prazo da operação, que ocorreu por meio da emissão de uma cédula de crédito bancário, será de três anos, com o principal sendo pago semestralmente após um período de 18 meses.

A taxa de juros da operação é de CDI mais 3,75% ao ano.

CPFL (CPFE3) e CPFL Renováveis (CPRE3)

A CPFL Energia informou que pagará R$ 18,24 por ação na oferta pública de aquisição (OPA) da CPFL Renováveis. O valor está acima dos R$ 16,85 esperados.

O valor será pago na liquidação da oferta e a OPA está prevista para ocorrer na próxima quarta-feira. Com isso, a CPFL Renováveis irá sair do Novo Mercado da B3.

Saneamento

O avanço da covid-19 no Brasil criou um ambiente favorável para a votação pelo Senado do projeto que cria o novo marco de saneamento do Brasil, que abre espaço para a iniciativa privada atuar com mais força na exploração do setor e institui o regime de licitações aos municípios para a escolha das empresas que prestarão serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto.

A expectativa é de que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), feche um acordo para votação a partir da segunda quinzena de junho, ainda com o funcionamento do plenário virtual que foi instalada durante a pandemia.

A avaliação é que o projeto está maduro e que é o momento para a sua aprovação, principalmente depois que a covid-19 mostrou a dificuldade da população de baixa renda de enfrentar a doença sem condições básicas de acesso à água potável e saneamento. No Brasil, 100 milhões não têm coleta de esgoto e 35 milhões não têm acesso à rede água.

Iguatemi (IGTA3)

Os shoppings Iguatemi Campinas e Galleria serão reabertos a partir desta segunda-feira, 8, com horário reduzido. A Iguatemi informa que a decisão atende decretos municipal e estadual. O horário é das 16h às 20h de segunda a Domingo. “Esta retomada será conduzida com o máximo de cuidado e responsabilidade, visando o bem-estar de todos”, diz a empresa em comunicado.

Para tanto, a companhia adotou medidas de proteção e segurança, como o reforço das rotinas de limpeza, álcool em gel à disposição dos consumidores, áreas de alimentação “intensamente higienizadas” e com distanciamento mínimo de 2 metros entre as mesas.

Com estes, são onze unidades em operação, com as demais autorizadas a funcionar apenas as atividades essenciais e operações de delivery. Além disso, a administradora oferece drive-thru em grande parte de seus empreendimentos e a compra online, pelo Iguatemi 365 no Estado de São Paulo.

Grendene (GRND3)

A Grendene anunciou nesta segunda-feira que as operações em sua fábrica de Sobral (CE) permanecem suspensas até 14 de junho, atendendo ao decreto da prefeitura.

A continuidade da suspensão faz parte das medidas para conter o avanço do novo coronavírus. Na retomada, a partir do dia 15 de junho, está prevista a redução da jornada e salário em 70%.

CCR (CCRO3)

A concessionária de rodovias CCR divulgou o resultado parcial de suas operações entre os dias 29 de maio e 4 de junho e no acumulado do ano. o tráfego de veículos ainda mostra recuo, sendo mais intenso no segmento de automóveis de passeio.

No período, a queda foi de 9,5% entre os dias 29 de maio e 4 de junho em relação a igual período de 2019. Essa queda foi de 31,1% no segmento de veículos de passeio enquanto o segmento dos comerciais registrou uma elevação de 8,6% entre os comerciais. Já no acumulado do ano, a queda é de 6,3% no agregado.

Por concessão, o maior recuo entre os dias 29 de maio e 4 de junho foi registrado na Via Oeste, com queda de 20,6%. No ano, o recuo é de 13,9%.

Na Nova Dutra, a queda é de 20,4% na semana avaliada e de 13,2% em 2020.

Para os analistas do Bradesco BBI, os números do tráfego nas rodovias da CCR já refletem as medidas de relaxamento do isolamento social. “Esperamos que a tendência positiva seja mantida nas próximas semanas”, afirmaram, em relatório.

BR Distribuidora (BRDT3)

A BR Distribuidora anunciou nesta segunda-feira que vendeu a totalidade de sua participação na CDGN Logística. o MDC I Fundo de Investimentos pagou R$ 25,793 milhões pela participação.

Desse total, R$ 3,869 milhões foram pagos à vista o restante dividido em seis parcelas iguais, com a primeira vencendo em 5 de agosto e correção monetária.

A CDGN Logística atua no mercado de gás natural comprimido (GNC) e atende clientes dos segmentos industrial e de distribuição de gás em todo o território nacional.

Smiles (SMLS3)

O Morgan Stanley elevou as ações da Smiles para “overweight”, ou seja, os papéis da empresa de benefícios devem ter um desempenho superior à referência de mercado. O preço-alvo foi fixado em R$ 23,70, o que significaria uma valorização de 40%.

A recomendação da Smiles era de “underweight”. Segundo os analistas da Morgan, a elevação considera a parceria da empresa com a companhia área Gol, que havia feito a proposta de incorporar o programa de fidelidade, mas desistiu em março devido ao início da pandemia do novo coronavírus.

“A Smiles continua a apresentar um risco de governança e outros riscos relacionados ao parceiro aéreo, mas achamos que este preço é razoável e que existe um sólido argumento para as ações hoje baseado em ‘valuation'”. disseram.

Yduqs (YDUQ3) e Ser Educacional (SEER3)

O UBS elevou para compra a recomendação para as ações da Ser Educacional – antes, estava em neutra. No entanto, o preço-alvo dos papéis foi reduzido de R$ 35 para R$ 27.

Essa revisão da Ser Educacional já incorpora a expectativa de maior provisão para devedores duvidosos, abandono de curso e menor captação de alunos. “Apesar do aumento da incerteza, vemos uma reação desproporcional das ações quando consideramos os fundamentos do setor e também a carteira de novos programas, programas híbridos e a integração da Uninorte”, avaliaram os analistas.

Já os papéis da Yduqs (antiga Estácio Participações) foram mantidos com recomendação de compra, mas o preço-alvo reduzido de R$ 63 para 48.

Os analistas do UBS apostam na abordagem do ensino a distância pela Yduqs. “Apesar da mudança abrupta no cenário, nós mantemos a nossa visão de que a abordagem da empresa em aumentar a eficiência no ensino a distância em meio a uma competição mais agressiva e a exposição resiliente ao segmento de medicina fazem a empresa se destacar.”

Outras recomendações

A Gerdau (GGBR4) teve a recomendação reduzida a underperform (desempenho abaixo da média do mercado) pelo Bank of America, com preço-alvo de R$ 13.

Ainda em destaque, a Alupar foi rebaixada a neutra por JPMorgan, com preço-alvo de R$ 27, enquanto a Neoenergia (NEOE3) foi elevada a overweight pelo banco, com preço-alvo de R$ 21. A Santos Brasil (STBP3), por sua vez, também foi rebaixada a underweight pelo JPMorgan.

(Com Agência Brasil e Agência Estado)

O Segredo das Tesourarias: aprenda como lucrar da mesma forma que os bancos em um curso gratuito do analista e matemático Su Chong Wei