Caso Agrenco

Justiça de Bermudas impede Credit de executar dívida de US$ 50 mi da Agrenco

A companhia, cujas subsidiárias tiveram a falência decretada no começo do mês, destacou estar certo de que reverterá situação

SÃO PAULO – A Agrenco (AGEN11), cujas subsidiárias brasileiras tiveram a falência decretada no começo do mês, informou em comunicado ao mercado, enviado na noite da última quinta-feira, que a Justiça de Bermudas aceitou o pedido dos advogados da companhia, impedindo que o banco Credit Suisse execute uma dívida no valor de US$ 50 milhões.

“É com satisfação que a companhia informa que, em decisão proferida hoje, a Honorável Corte de Bermudas decidiu, que até segunda ordem, o Credit Suisse está impedido legalmente de cobrar a referida dívida”, informou a Agrenco.

A Agrenco destacou ainda a confiança na Justiça de Bermudas e do Brasil e afirmou que está certa de que será capaz de reverter a situação de falência de suas subsidiárias. A companhia criticou mais uma vez o Credit Suisse que, para ela, teve empenho decisivo para a falência das suas subsidiárias.

Vale ressaltar que, na última quarta-feira (14), a falência das subsidiárias da Agrenco no Brasil foi publicada no Diário Oficial. A companhia tem um prazo de dez dias para entrar com agravo de instrumento para tentar reverter a decisão, contados a partir da última quinta-feira (15).

A falência foi decretada no último dia 2 pelo juiz Marcelo Barbosa Sacramone, da 11ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, após a companhia não conseguir a aprovação de seu plano de recuperação judicial em Assembleia. Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts ) da companhia seguem congelados na Bovespa.