Análise Técnica

Junho: o mês “perdido” na Bolsa; o que fará destravar o Ibovespa?

Segundo trader, índice aponta para uma queda e boas oportunidades ficam em ações de companhias exportadoras

SÃO PAULO – Quem imaginava grandes movimentos na Bolsa este mês acabou se decepcionando e muito. Desde o fim de maio o Ibovespa, benchmark da Bolsa brasileira para o mercado de ações, opera em um movimento lateral dentro de uma banda de 52.550 pontos a 54.350 pontos. A grande questão que fica agora é: em julho o índice vai se decidir para alguma direção ou continuaremos vendo esta lateralização. 

Para responder a pergunta, o trader profissional e sócio da Cartezyan, Wagner Caetano, elaborou uma análise técnica especialmente para o InfoMoney. Nela, ele diz que as médias móveis exponenciais de 5 e 21 períodos, que até hoje estavam lineares e sem apontar tendência, tiveram uma leve alteração após a queda dessa quinta-feira, inclinando-se para baixo.

“Com o fechamento do Dow Jones na mínima e bolsas na Europa e Ásia patinando, com viés de queda, o caminho mais provável é o teste da banda inferior da congestão nos próximos dias”, afirma. Para ele, a situação das commodities, como o minério de ferro e o petróleo, que não conseguem se manter em alta, influenciam também o mercado doméstico. Principalmente blue chips como a Petrobras (PETR3; PETR4) e a Vale (VALE3; VALE5). 

Como se não bastasse, o cenário interno ainda é influenciado pelos desdobramentos da Operação Lava Jato, além do aumento da inflação, que se soma à estagnação econômica e ao avanço de desemprego para alimentar o pessimismo nos mercados no curto prazo. 

Confira o gráfico do Ibovespa nos últimos meses:

Entre as ações que ficam em destaque hoje está a Vale (VALE3; VALE5), que na esteira de indicadores chineses fracos e minério de ferro em queda, tem as médias inclinadas para venda. “Ela perdeu suporte em R$ 16,92 e hoje deverá testar o decisivo R$ 16,45, cuja perda projeta R$ 15,95 ou mesmo um teste entre R$ 15,00 e R$ 15,35, uma vez que tem um gap aberto na região”, explica Caetano.

Para outra blue chip, o Itaú Unibanco (ITUB4), a ação deixou um candle de reversão denominado martelo no dia 15/06 e fez um bom movimento de repique até a linha de tendência de alta perdida no início do mês, o chamado pull back: “sinalizou topo ontem e como hoje fechou abaixo da mínima de ontem (R$ 34,71) confirmou topo e deverá ceder para fechar o gap aberto circulado na imagem”.

Já para boas oportunidades de compra, Caetano lembra de papéis atrelados ao dólar que vivem bons momentos em seus setores, como por exemplo Fibria (FIBR3) e Embraer (EMBR3).

PUBLICIDADE