Novo cenário

JPMorgan reduz projeções para bolsas da América Latina; Ibovespa deve encerrar ano aos 80.500 pontos

Projeção para o principal índice da Bolsa brasileira foi reduzida em 36%, de 126.000 para 80.500 pontos

gráfico de ações e índices em queda
(Shuterstock)

(Bloomberg) — O JPMorgan Chase reduziu as expectativas para os mercados acionários na América Latina diante do impacto econômico decorrente do surto de coronavírus sobre o lucro das empresas da região.

O banco cortou as estimativas para índices locais no fim do ano e espera que o MSCI Emerging Markets Latin America encerre 2020 em 1.700 pontos, disseram estrategistas liderados por Emy Shayo em relatório de 24 de março. A estimativa anterior era de 3.000 pontos.

A projeção para o Ibovespa foi reduzida em 36%, de 126.000 para 80.500 pontos. O índice acumula queda de 38% desde o pico no fim de janeiro, em meio a dúvidas sobre a sustentabilidade da agenda de reformas, cortes de previsões para o crescimento econômico e queda dos preços do petróleo.

O índice Merval da Argentina, que tem tido desempenho mais fraco desde a vitória do então candidato Alberto Fernández nas primárias de agosto, deve terminar 2020 em 26.800 pontos, segundo o JPMorgan.

A estimativa para o IPSA do Chile foi reduzida de 5.300 para 3.300 pontos, enquanto o Mexbol do México deve encerrar o ano em 34.200.

Aprendizados em tempos de crise: uma série especial do Stock Pickers com as lições dos principais nomes do mercado de ações. Assista – é de graça!