JPMorgan Chase pode ter imitado Lehman Brothers em contabilidade duvidosa

Investigações também levantam que ex-executivos da Merrill Lynch teriam alertado à SEC má-saúde financeira do Lehman

SÃO PAULO – Uma semana após o comitê investigativo sobre falência de Lehman Brothers apresentar relatório falando de irregularidades nos balanços financeiros do banco, outra instituição norte-americana está sob suspeita.

Assim como o Lehman Brother, o JP Morgan Chase apresenta alguns descompassos em seus balanços entre os anos de 2001 e 2005, antes de se fundir com o Bank One.

O problema assenta-se na contabilidade usada para reportar operações conhecidas como repo (recompra de títulos) feitas pelo banco nesse período, que foram contabilizadas com um cálculo inadequado pelo Lehman Brothers para mascarar sua saúde financeira.

PUBLICIDADE

Detalhes
Os repo sales são importantes mecanismos para bancos de investimentos elevarem sua liquidez no mercado e geralmente constam nos livros contábeis das instituições. Mas, em certas circunstâncias os bancos podem contabilizar os repo sales como vendas e retiram de seus registros.

Segundo o JPMorgan Chase, os acordos são parte de uma estratégia de negócio individual, não uma ferramenta para gerenciar balanços financeiros. A suspeita é de que o JP Morgan Chase tivesse parceiros nestas operações.

A instituição também é alvo das investigações de Anton Valukas, encarregado de descobrir as causas da falência de Lehman Brothers em 2008 e descobriu irregularidades nas contas do banco norte-americano na semana passada.

Alerta
Ao mesmo tempo em que a especulação de irregularidades também nos balanços do JP Morgan Chase crescem, ex-integrantes do banco Merrill Lynch afirmam que a SEC (Comissão de Mercado de Capitais norte-americana) foi avisada de que as contas do Lehman Brothers não estavam saudáveis meses antes de seu colapso em 2008.

Segundo eles, a motivação que os levou a denunciar o rival na época à Comissão foi justamente a concorrência. Eles queriam mostrar a seus clientes e investidores que não estavam menos líquidos que o Lehman Brothers.

Contudo, o Lehman Brothers respondeu no período que tinham a mais forte posição de liquidez entre as corretoras. Desconfiados, os então executivos do Merrill Lynch decidiram investigar e viram que o Lehman incluíra o que era conhecido como capital regulatório em seu cálculo de excesso de liquidez.

PUBLICIDADE

O próprio Valukas afirmou em relatório que bancos que interagiam com o Lehman poderiam ter suspeitada da má-saúde do banco. A notícia traz à tona o debate sobre até que ponto a SEC e até mesmo o próprio Fed sabia da situação em que se encontrava Lehman Brothers.