Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

“É preciso ter disciplina no trade, caso contrário se está fora”, diz John Bollinger

Analista financeiro criador das Bandas de Bollinger participou do 2º dia da Sociedade do Gain

Augusto Diniz

Publicidade

De Hollywood à Wall Street, assim foi a transição de carreira de John Bollinger, entre os anos 70 e o início dos 80, ao trocar o cinema pelo mundo dos investimentos. Da experiência com as telas, ele ganhou notoriedade, nos EUA, como analista-chefe de mercado da Financial News Network, que depois migrou para CNBC.

Em uma dessas participações, ao apresentar o seu recém sistema desenvolvido de análise de ativos, foi questionado pelo apresentador sobre o seu nome e respondeu: “Vamos chamar de Bandas de Bollinger“, disse, sobre a ferramenta. Isso era o início dos anos 80 e o sistema segue, até hoje, sendo usado por traders de todo mundo.

“As bandas de Bollinger definem se os preços estão altos ou baixos em uma base relativa. Por definição, os preços são altos na banda superior e os preços são baixos na banda inferior”, explicou ele, durante o 2º dia da Sociedade do Gain, evento online e gratuito, que segue até hoje, dia 28 de fevereiro.

Segundo ele, essas definições podem até parecer “simplistas”, mas são “poderosas”. “Essa é a essência do meu trabalho, que é tentar encontrar pontos no gráfico onde as chances de sucesso estejam ao meu favor”, afirmou, acrescentando que o montante a ser arriscado deve ser relativamente pequeno em comparação com o ganho potencial.

John Bollinger

Bollinger costuma dizer, ainda, que foi a volatilidade do mercado que o levou à criação das Bandas de Bollinger, com faixas de negociação.

Mas não basta se deter na análise técnica para ser um bem-sucedido trader. Bollinger afirmou que outras questões são primordiais, como disciplina e controle.

“Se você não acha que pode ser disciplinado em seu trading, que não consegue construir um sistema, que não consegue seguir suas regras, você realmente não deveria ser um trader, porque vai perder dinheiro – e não ganhar dinheiro”, disse, durante o evento.

Nesse sentido, ele coloca a disciplina em primeiro lugar, à frente até do talento.

“Não estou dizendo que você tem que ser um trader sistemático, mas tem que ter regras. Podem ser regras de reconhecimento de padrões, podem ser regras de gráficos, podem ser regras de linha de tendência. Sejam quais forem, você tem que ter regras”, expôs.

“E você tem que ter disciplina para fazer isso. Caso contrário, você simplesmente está fora (desse negócio)”, complementou.

Ponto de entrada e saída

O autor e analista financeiro, no relato sobre sua experiência, contou um ditado do mercado financeiro dos Estados Unidos: “A gente só tem uma chance na vida de comprar uma ação no preço mais baixo e vender uma ação no preço mais alto.”

Bollinger concluiu dizendo que conseguiu isso, há muitos anos, ao vender uma ação com o preço mais alto.

“A ação chamava-se Home Shopping Network. Foi uma daquelas ações da moda, que fez um desses avanços parabólicos. Eu consegui vender no preço mais alto. Bingo”, contou, confessando, em seguida, que ainda não fez a compra de um ação no preço mais baixo. “Mas ainda tenho esperança”, brincou.

Sobre seu operacional, o autor das bandas acrescentou: “Não estou tão interessado em tentar escolher topos (para vender melhor uma ação) ou fundos (para comprar melhor uma ação)”, destaca.

“A lição é construir abordagens que se pode executar ao longo do tempo, onde as chances de sucesso estão ao seu favor, e o valor que se precisa investir é menor do que o ganho potencial. Isso é o principal para mim”, pontuou.

Conforme ele, ao longo dos anos, usou muitos sistemas e, até hoje, procura por novas ideias e abordagens. Dessa forma, ressaltou, procura sempre fazer o trade da melhor maneira possível.

Rotina

John Bollinger disse que costuma acordar bem cedo. Como mora na Califórnia, pelo fuso horário, os mercados americanos abrem ainda ao amanhecer na região em que vive nos Estados Unidos.

“Levanto-me pouco antes da abertura do mercado e vejo as manchetes. Sempre estou interessado em saber qual é o sentimento (do mercado), entender sobre o que as pessoas estão pensando e como estão se comportando”, disse.

As manchetes que lê são dos grandes sites financeiros. Depois, disse que passa a analisar uma lista pronta de ativos, que gostaria de negociar, com o mercado aberto.

“Analiso essas listas e vejo se há oportunidades nelas. Muito do que faço na minha prática envolve construir listas de oportunidades, seja para comprar ou para posições que já tenho e estou um pouco preocupado, e talvez precise pensar em vendê-las”, explicou.

Àqueles que estão iniciando no trade, Bollinger sugeriu aprender a usar o sistema escolhido para operação no mercado, entender os prós e os contras, e avaliar se não seria necessário mudá-lo mais à frente, se não lhe atender – em relação aos ganhos.

A entrevista completa pode ser acompanhada nos próximos sete dias pelo site do Sociedade do Gain.