Jim Rogers acredita em mais baixas para o mercado e critica postura dos BCs

Megainvestidor prevê que o "fundo do poço" ainda está longe; retomada da economia será subsidiada pelas commodities

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Apesar do otimismo em voga, o conceituado investidor
Jim Rogers, que junto a George Soros criou um fundo de investimento, acredita que o mercado acionário enfrentará novas baixas este ano após o rali verificado recentemente.

Segundo ele, a alta foi propiciada pela injeção maciça de dinheiro por parte dos bancos centrais, de modo que o problema fundamental que originou a crise econômica (escassez de liquidez e ativos subprime) ainda não foi solucionado pelos governos.

Rogers criticou em sua entrevista à agência de notícias CNBC a postura dos EUA perante a crise. Na visão dele, solucionar o problema por meio de “muito consumo e muito dívida” não funcionará.

Aprenda a investir na bolsa

“Fundamentos da General Motors não estão melhorando, fundamentos do Citibank não estão melhorando. Eu não consigo pensar em indústrias cujos fundamentos estão melhorando”, revela Jim Rogers.

Commodities liderando retomada

Mesmo com o pensamento pessimista, o investidor aposta suas fichas no setor agrícola e petrolífero, basicamente nas commodities em geral, com fortes recomendações para empresas ligadas à agricultura.

Rogers, como em outras falas, vem enfatizando que setores ligados às commodities serão os primeiros a se recuperarem da crise econômica, uma vez que os investimentos em minas, prospecção de petróleo e agricultura cortados ante a recessão criaram um déficit, que futuramente deve ser coberto.