After Market

JBS e BRF negociam acordo de importação, Rumo anuncia aumento de capital de R$ 755,6 mi e mais 6 destaques

Confira os principais destaques de corporativos da Bovespa após o fechamento do pregão desta terça-feira

SÃO PAULO – A agenda corporativa seguiu movimentada após o fechamento do pregão desta terça-feira. Além da temporada de balanços do 3° trimestre, com destaque para 10 empresas (que você pode conferir clicando aqui), o radar da Bovespa foi movimentado por mais 7 notícias, entre elas: a Petrobras anunciou uma “revisão surpresa” nos preços dos combustíveis; rumor de acordo entre JBS, BRF e Aurora para maior importação de milho dos EUA desde 1998; a Rumo anunciou aumento de capital de R$ 755,6 milhões; e a Vale fará reunião com o mercado em Londres no dia 1° de dezembro. 

Confira abaixo os principais destaques corporativos divulgados após o fechamento deste pregão:

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras anunciou redução dos preços dos combustíveis nas refinarias: o preço do diesel será cortado em 10,4% e da gasolina em 3,1%. Essa é a segunda redução nos valores dos dois derivados desde que a estatal sua nova política de preços, no mês passado. 

PUBLICIDADE

Segundo a empresa, a combinação de queda dos preços de petróleo e derivados entre os dias 14 de outubro e hoje, de 12,1%, e a redução da participação da companhia nas vendas ao mercado interno, que têm impactos sobre o nível de utilização dos ativos da estatal, justificaram essa correção maior nos preços do diesel e gasolina. 

“A metodologia definida pela Petrobras prevê a revisão dos preços cobrados nas refinarias pelo menos uma vez por mês após análise do comitê formado pelo presidente da companhia, o diretor de Refino e Gás Natural e o diretor Financeiro e de Relação com Investidores”, informou o comunicado.

JBS (JBSS3) e BRF (BRFS3)
JBS, BRF e Aurora se uniram para comprar dois carregamentos de milho dos Estados Unidos, em tentativa de amenizar escassez de oferta do produto no País, disseram duas pessoas com conhecimento no assunto em condição de anonimato à Bloomberg. Essa será a maior importação da commodity do país desde 1998, quando o Brasil importou 105.911 toneladas de milho dos EUA. A informação foi revelada após o fechamento do pregão desta terça-feira (8). 

Segundo a fonte, cada carregamento terá 30.000 toneladas de milho, com 10.000 toneladas indo para cada empresa. As importações devem ser descarregadas em portos no Sul do País entre dezembro e janeiro de 2017, disse a pessoa.

Procurada pela Bloomberg, a assessoria de imprensa da BRF não comentou o assunto. A JBS, por meio de sua assessoria, disse que está permanentemente avaliando oportunidades econômicas que possam resultar na reduçao de custos e melhoria na competitividade, o que inclui importação de insumos. Já a Aurora declarou que não há planos em curso para comprar milho dos EUA em conjunto com a BRF e JBS

Rumo (RUMO3)
O conselho de administração da Rumo aprovou aumento de capital privado de R$ 755,6 milhões, conforme comunicado enviado ao mercado após o fechamento deste pregão. 

PUBLICIDADE

Vale (VALE3; VALE5)
A Vale anunciou que fará reunião com o mercado em Londres no dia 1° de dezembro, quinta-feira, no Hyatt Regency London, segundo comunicado enviado ao mercado. A reunião será transmitida ao vivo por vídeo webcast através do site da Vale a partir das 10h15 (horário de Brasília). Ontem, a mineradora anunciou reunião com participantes do mercado de capitais em Nova York, no dia 29 novembro, terça-feira, às 13h. 

PDG Realty (PDGR3)
A construtora PDG Realty informou nesta terça-feira que seu conselho de administração nomeou Pedro Bulhões Carvalho da Fonseca e Olinto Antonio Schmitt Sant’Anna para ocupar, respectivamente, os cargos de vice-presidente e do membro efetivo do colegiado. Eles assumem os cargos em substituição a Alessandro Morgado Horta e Matheus Affonso Bandeira, nesta ordem, que renunciaram hoje.  

Light (LIGT3)
O conselho de administração da Light aprovou financiamento de R$ 474,7 milhões com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), segundo informou a empresa
à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nesta terça-feira. 

Lupatech (LUPA3)
A fabricante de equipamentos para a indústria de petróleo e gás Lupatech afirmou nesta terça-feira que uma assembleia geral de credores aprovou o novo plano de recuperação judicial da companhia. O plano foi apresentado em setembro, pouco mais de dois meses após a justiça aceitar recursos de credores e anular a homologação do plano de recuperação judicial. A empresa pediu recuperação judicial em maio de 2015, afetada pelos menores preços do petróleo e pelas turbulências envolvendo a Petrobras, sua principal cliente.

(Com Reuters)