AO VIVO COO do Mercado Livre fala sobre o impacto do coronavírus no no e-commerce; assista pelo seu celular no perfil do InfoMoney no Instagram

COO do Mercado Livre fala sobre o impacto do coronavírus no no e-commerce; assista pelo seu celular no perfil do InfoMoney no Instagram

Certo ou errado?

Jamie Oliver faz parceria com a Sadia e é criticado

Segundo o jornal O Globo, nas redes sociais, os usuários que criticam a parceria afirmam que a Sadia estaria fazendo a parceria apenas para alavancar as vendas

SÃO PAULO – No Brasil para divulgar uma parceria com a Sadia, o famoso chefe inglês Jamie Oliver está sendo criticado antes mesmo dela ser anunciada: ele defende um modo de vida saudável, propondo que as pessoas se alimentem melhor, e a Sadia, por outro lado, é vista como uma empresa de comidas industrializadas e que dificulta a proposta do chef. A parceria foi divulgada na semana passada, mas será anunciada oficialmente ainda nesta quarta-feira (6).

Nas redes sociais, os usuários que criticam a parceria afirmam que a Sadia estaria fazendo a parceria apenas para alavancar as vendas. As informações são do jornal O Globo.

Ainda na semana passada, após saber da parceria, chefs brasileiros e latinos que participam do programa Food Revolution, criado pelo chef inglês, também se mostraram contrários — e alguns chegaram até a abandonar o projeto. O programa têm como objetivos mostrar às pessoas a importância de comer alimentos frescos e convencê-las a abandonar os industrializados.

PUBLICIDADE

Em entrevista ao Globo, uma das embaixadoras do programa no Brasil, a especialista em alimentação natural Lara Folster, afirmou que “não faz sentido ele defender alimentação saudável e se unir à Sadia”.

Consequências
A parceria entre o chef e a Sadia pode fazer com que o Food Revolution perca seu lugar no Festival de Gastronomia Orgânica, em São Paulo. Ainda segundo o Globo, esse é um dos eventos de alimentação limpa mais importantes do continente.

Essa não é a primeira visita de Jamie Oliver ao Brasil que gera polêmica: quando visitou o país em 2014, durante a Copa do Mundo, ele criticou doces brasileiros como o brigadeiro e o quindim de “porcarias”. O comentário, claro, gerou revolta nas redes sociais.