Itaú BBA eleva exposição a ações domésticas com melhora econômica; veja carteira

A equipe macro do banco revisou recentemente a sua previsão de crescimento do PIB para 2024 de 1,8% para 2%, levando a um crescimento mais rápido da projeção do lucro por ação em 2024

Equipe InfoMoney

Publicidade

O Itaú BBA fez mudanças na sua carteira Brazil Buy List e aumentou a exposição a ações domésticas (12% acima do benchmark) em seus portfólios de forma geral, diante da melhora das tendências econômicas, com dados de atividade acima do esperado.

A equipe macro do banco revisou recentemente a sua previsão de crescimento do PIB para 2024 de 1,8% para 2%, levando a um crescimento mais rápido da projeção do lucro por ação em 2024 (o lucro das ações domésticas do Ibovespa deve crescer 22% em relação a 2023).

Apesar das curvas de taxas de juros mais altas após o último Copom (que sinalizou uma queda dos juros em 0,5 ponto percentual apenas na próxima reunião e não mais “nas próximas”, como as últimas comunicações), a equipe macro do banco prevê o fim do ciclo de flexibilização com a Selic a 9,25% ao ano, criando um ambiente favorável para as empresas nacionais, que devem apresentar um crescimento de 22% do lucro por ação em 2024 e negociando com valuations atrativos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Estamos mudando a nossa exposição ao consumo discricionário para overweight (exposição acima da média do mercado) (…), que aponta para o aumento da exposição das ações ao crescimento cíclico em um cenário de inflação controlada e crescimento positivo do PIB. O setor de consumo teve um desempenho inferior recentemente devido a aumento do risco de tributação por conta da MP 1.185 (ou MP das subvenções), o que parece estar na conta nas estimativas de consenso recentes”, avalia.

O banco destaque ainda as dez principais escolhas temáticas em cinco temas que os estrategistas do banco gostam.

São elas: Equatorial (EQTL3) e Sabesp (SBSP3), sendo bond proxies com taxas internas de retornos reais de dois dígitos; Localiza (RENT3) e Arezzo (ARZZ3), a última nova adição, como empresas cíclicas de qualidade; GPS (GGPS3) e Hypera (HYPE3) (temas seculares), Banco do Brasil (BBAS3) e Randon (RAPT4), sendo beneficiários diretos e indiretos do agronegócio; e, Suzano (SUZB3) e PRIO (PRIO3) (commodities com valuation atrativo).

Continua depois da publicidade

O banco destaca que a Brazil Buy List (carteira de 10 ações) atingiu desempenho de 5,7% positivo desde as últimas mudanças, em meados de novembro de 2023, superando os retornos do Ibovespa de 1,9%. Os destaques de performance entre as principais escolhas foram: Sabesp, Suzano, Banco do Brasil, Randon e GPS. Das 10 ações, sete tiveram desempenho superior ao do Ibovespa no período. Do lado negativo, esteve a Localiza e Vivara (VIVA3), esta última que saiu da carteira.

Os estrategistas do banco optaram por incluir a Arezzo em seu portfólio como uma das principais opções ao tema “cíclicos de qualidade”, dado o potencial de crescimento e oportunidades de sinergias da fusão com a Soma (SOMA3).

Para o BBA, a companhia resultante da fusão Soma-Arezzo pode se tornar uma maneira interessante e líquida de se expor ao setor de consumo discricionário no Brasil. Além disso, a Arezzo também aparece bem classificada em nossa lista de companhias com vantagens competitivas. “Para adicionarmos Arezzo à Brazil Buy-list, decidimos retirar Vivara”, ressaltou.

Confira o portfólio de Brasil do Itaú BBA:

Fonte: Itaú BBA