Dados mensais

IRB (IRBR3) reverte lucro e registra prejuízo de R$ 50,9 milhões em fevereiro de 2022

No primeiro bimestre do ano, contudo, o lucro líquido acumulado foi de R$ 63,2 milhões, ante lucro no mesmo período de 2021 de R$ 38,8 milhões

Por  Equipe InfoMoney -

O IRB Brasil (IRBR3) disponibilizou na noite desta sexta-feira (22) relatório periódico mensal enviado à Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) com os números referentes ao mês de fevereiro.

A resseguradora informou ter registrado um prejuízo líquido de R$ 50,9 milhões em fevereiro de 2022, comparado a um lucro de R$ 20,8 milhões em fevereiro de 2021.

No primeiro bimestre de 2022, contudo, o lucro líquido acumulado foi de R$ 63,2 milhões, ante um lucro líquido no mesmo período de 2021 de R$ 38,8 milhões.

A companhia destacou que o detalhamento e explicações sobre os resultados serão apresentados por ocasião da divulgação das demonstrações contábeis, prevista para 16 de maio.

O prêmio emitido totalizou R$ 478,5 milhões em fevereiro de 2022, uma queda de 9,5% em relação a fevereiro de 2021, composta pelo incremento do prêmio no Brasil de 30,6%, para R$ 334,1 milhões, e pela redução do prêmio no exterior de 47,0%, para R$144,4 milhões.

Já no bimestre, o prêmio emitido atingiu o montante de R$ 1,502 bilhão, crescimento de 11,9% em relação ao mesmo período de 2021, sendo R$ 945,7 milhões no Brasil e R$ 556,3 milhões no exterior, crescimento de 31,4% e redução de 10,6%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2021. A redução no exterior está em linha com a estratégia de foco no mercado doméstico, amplamente divulgada pela companhia, ressaltou.

Despesas de sinistro

Já a despesa de sinistro em fevereiro de 2022 foi de R$ 188,9 milhões, uma redução de 50,2% em relação a fevereiro de 2021, de R$ 379,6 milhões. O índice de sinistralidade em fevereiro de 2022 ficou em 81%, comparado a 70,7% no mesmo mês do ano anterior.

“Registramos efeito não-recorrente referente à operação de LPT (Loss Portfolio Transfer) que agravou a linha de prêmio retrocedido em R$ 218,8 milhões e reduziu a linha de Sinistro Retido em R$ 200,8 milhões, gerando um efeito negativo no resultado de subscrição da Companhia de R$ 18,0 milhões”, apontou a empresa em comunicado.

No primeiro bimestre de 2022, a despesa com sinistro totalizou R$482,8 milhões, um decréscimo de 27,9% quando comparada com o mesmo período do ano anterior. No acumulado dos dois primeiros meses do ano, o índice de sinistralidade foi de 72,8%, comparado a 70,6% no primeiro bimestre de 2021.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe