IR 2007: Receita deposita quinto lote de restituições nesta segunda-feira

O dinheiro virá corrigido em 5,7%, referentes à taxa Selic de maio a setembro, e mais 1% equivalente a outubro

Por  Patricia Alves -

SÃO PAULO – A Receita Federal deposita, nesta segunda-feira (15), o dinheiro das restituições liberadas no quinto lote do Imposto de Renda 2007 (ano-base 2006). As consultas ao lote estão disponíveis pela internet (www.receita.fazenda.gov.br) e pelo Receitafone (0300 789 0300) desde o dia 5 de outubro.

No total, R$ 1,4 bilhão em restituições será liberado para 1.559.155 pessoas que têm direito a receber.

Outras 85.114 pessoas tiveram saldo de imposto a pagar, correspondendo a R$ 65,564 milhões. A Receita apurou ainda que 40.436 contribuintes não tiveram nem imposto a pagar nem a receber.

Depósito em conta

O dinheiro chega corrigido em 5,7%, referentes à taxa Selic de maio a setembro, e mais 1% de outubro.

Quem não informou a conta-corrente para crédito da restituição poderá ir a uma agência do Banco do Brasil e pedir a transferência do dinheiro para qualquer banco em que seja correntista.

A restituição ficará disponível no banco pelo prazo de um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse tempo, deverá requerê-lo com o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, disponível na internet.

Calendário

Caso você não esteja entre o grupo de contribuintes que têm direito à restituição do imposto pago a mais já neste primeiro lote, confira o calendário das próximas liberações:

IR 2007Data
6º lote16/11/2007
7º lote17/12/2007

Malha fina

Não ser incluído nesses lotes significa que o contribuinte foi retido na malha fina. Neste caso, o prazo de liberação da declaração é de até cinco anos, contados a partir do ano seguinte da entrega da declaração.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Existem muitas razões pelas quais as declarações são retidas na malha fina, mas, na maioria dos casos, isso acontece devido a erros de informação ou inconsistência de dados, como aqueles apresentados pela fonte pagadora. Quem perceber que cometeu um erro pode agilizar a liberação, entregando uma declaração retificadora.

Mais rigorosa na fiscalização e no cruzamento de dados, a Receita Federal tem retido um número cada vez maior de contribuintes na malha fina.

Compartilhe