Aberturas de capital

IPOs da Caixa Seguridade e da Caixa Cartões devem ocorrer este ano, diz Pedro Guimarães

Ele ressaltou ainda a intenção de abrir o capital da Caixa Loterias – o que depende de um decreto do governo – e da Caixa Asset

(Wilson Dias/Agência Brasil)
Aprenda a investir na bolsa

CORREÇÃO: ao contrário do que havia sido mencionado no quinto parágrafo, Pedro Guimarães, presidente da Caixa, não falou em privatização e sim em abertura de capital das unidades do banco. A matéria foi alterada às 8h21 do dia 30 de janeiro de 2020. 

SÃO PAULO – O aguardado IPO (Oferta Pública Inicial, na sigla em inglês) da Caixa Seguridade e da Caixa Cartões está muito próximo de acontecer, disse o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

“Este é o ano em que a gente espera que tenha pelo menos duas aberturas de capital: a Caixa Seguridade e a Caixa Cartões”, afirmou ele ressaltando ainda a intenção de abrir o capital da Caixa Loterias – o que depende de um decreto do governo – e da Caixa Asset.

Aprenda a investir na bolsa

No início do mês, a Caixa Seguridade já havia informado que o conselho diretor da Caixa Econômica havia aprovado a formação e contratação de sindicato de bancos para avaliar uma potencial oferta pública de ações da unidade de seguros.

Falando em evento do Credit Suisse em São Paulo, o executivo ressaltou que não existe nenhuma pressão vinda do ministro da Economia, Paulo Guedes, nem do presidente Jair Bolsonaro.

Apesar disso, ele defendeu a abertura de capital como forma de proteger a Caixa em outros governos.

Guimarães explicou ainda que a atual prioridade do banco é pagar sua dívida, mas que é possível aumentar a remuneração ao acionista. “Quem define nosso dividendo é o Tesouro. Temos 25% de dividendo obrigatório, mas pode chegar tranquilamente a 50%”, afirmou.

Ele também comentou o cenário de juros no País. “Não consigo ver 14% ao mês de juros em um país com 4,5% de Selic e 4% de IPCA”, afirmou ele explicando que só foi possível cortar juros porque houve uma queda na inadimplência e aumento da carteira de clientes.

Além disso, ele explicou que a política de corte de juros do banco só deve durar até que a economia volte a acelerar. Segundo o executivo, a Caixa irá seguir a mesma tendência da Selic.

PUBLICIDADE

“Se a economia der soluço, vou aumentar a taxa. Se aumentar a Selic, não vou manter as mesmas taxas”, disse Guimarães.

O executivo falou ainda que a Caixa irá lançar “dentro de poucas semanas” a modalidade de crédito imobiliário com taxa prefixada.

Segundo ele, o crédito atrelado ao IPCA, lançado no ano passado, ampliou o público com acesso ao financiamento da casa própria porque reduziu entre 30% e 50% o custo da primeira prestação, o que abre a possibilidade do banco securitizar parte de sua carteira.

Por conta disso, Guimarães afirmou que, após seis meses do lançamento da carteira de crédito imobiliário pelo IPCA, o banco começará a testar o mercado de securitização.