Abertura de capital

IPO surpreendente, R$ 600 mi captados, mas você não conhece? Saiba quem é a Par Corretora

Com 41 anos de idade, seguradora usa a estrutura da Caixa Econômica Federal para vender seus produtos e há quem acredite que ela sirva de trampolim para voos mais altos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Par Corretora levantou R$ 602,8 milhões para suas 48,889 milhões de ações no primeiro IPO (Oferta Pública Inicial) do ano, que será realizado na sexta-feira. A operação superou as expectativas iniciais, que eram de um volume entre R$ 500 milhões e R$ 567 milhões e acabou tomando conta do noticiário dos últimos dias. Mas, até esta semana, pouca gente conhecia a empresa que conseguiu este feito. 

Criada em 1973 como Fenae Corretora, a Par Corretora inicialmente tinha como função intermediar os seguros entre a Caixa Econômica Federal e a Caixa Seguradora. Em 2009, ela mudou seu nome para Par Corretora, funcionando dentro do conceito de “Grupo Par”, que tinha como objetivo fortalecer o relacionamento entre as empresas PAR e os parceiros da empresa, como Caixa e Caixa Seguradora.

Hoje ela se separa em três segmentos: a corretora, especializada em “bank assurance” – a parceria na qual a empresa de seguradora usa o canal de vendas do banco para vender seus seguros -; a Par Saúde, que trabalha com planos de saúde e odontológicos empresariais; e a unidade de Riscos Especiais, que oferece seguros para a proteção de empresas em projetos e investimentos mais arriscados. Nesta última unidade, a companhia se beneficia de programas como o Minha Casa Minha Vida, já que vende produtos como os Riscos de Engenharia e Garantia Executante Construtor para a construção civil. 

Aprenda a investir na bolsa

A grande diferença entre ela e a Caixa Seguradora é que a Par não é dona dos seguros, ela funciona como intermediária das operações, ganhando dinheiro com a corretagem. Assim, por mais que a maior parte de suas vendas se deem dentro da estrutura do banco estatal, ela pode negociar seguros de outras empresas. 

Voos mais ambiciosos
Mas alguns acreditam que a operação foi apenas uma alavanca para ambições bem maiores da controladora da Par, justamente a gigante Caixa Econômica Federal. Em relatório divulgado ao mercado, a Empiricus levantou a hipótese de que o IPO desta sexta teve como objetivo testar os ânimos para voos (ofertas) bem maiores, como, possivelmente, o IPO da Caixa. “Por enquanto, oferta-se o melhor e mais seguro – para o que é bom e não tão caro, há demanda vasta, em tempos de liquidez gigantesca lá fora”, disse o analista Roberto Altenhofen.

Ontem, a Par Corretora aumentou o preço máximo da sua oferta inicial de ações por conta da forte procura. A faixa de preço para a venda dos seus papéis no IPO, que era de R$ 11,25 a R$ 11,60, foi para R$ 11,25 a R$ 12,35. Acabou que o investidor terá de desembolsar um preço mínimo de R$ 12,33 para comprar cada papel quando as ações estrearem na Bovespa.