Perspectivas

IPCA, feriado na B3, julgamento da chapa Bolsonaro-Mourão e Fomc: o que acompanhar na semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar na semana

SÃO PAULO – Apesar da perda de ímpeto no Ibovespa na sexta-feira (5), a semana terminou com um clima de forte ânimo nos mercados globais. Por aqui, o principal índice da bolsa voltou para o patamar de 94 mil pontos, com o dólar perdendo o nível dos R$ 5,00.

Para os próximos dias, a agenda será bem recheada, com testes importantes no Brasil e no exterior para a recuperação das bolsas. Por aqui, atenção especial para o dado de inflação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), na quarta-feira (10).

PUBLICIDADE

A equipe do Bradesco BBI espera que o dado apresente uma deflação de 0,45% em maio, refletindo a queda de preços de combustíveis e de bens industriais, além de desaceleração de preços de serviços.

Se o resultado ficar ainda abaixo do esperado, pode reforçar as apostas do mercado de um corte 0,75 ponto percentual na Selic, uma semana antes da próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) acontecer.

Na sexta, dados americanos e a fala Fabio Kanczuk, diretor do Banco Central, sinalizando falta de consenso em relação ao piso para a taxa Selic, ajudaram a reduzir as apostas de que a poderíamos ter um corte de juros além de junho.

O calendário da próxima semana traz ainda primeiras quadrissemanas de junho do IPC-Fipe e IPC-S, além da 1ª prévia do mês do IGP-M.

Vale lembrar ainda que a B3 não antecipou o feriado de Corpus Christi como ocorreu em São Paulo e manteve a data festiva na data original. Com isso, na próxima quinta-feira (11), a bolsa brasileira ficará fechada.

No campo político, o clima de trégua entre Planalto e Judiciário será testado novamente. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pautou o julgamento de duas ações sobre a cassação da chapa de Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, para terça-feira (9). A tendência é que ambas sejam arquivadas.

PUBLICIDADE

Neste fim de semana, atenção também para a movimentação de manifestações pró e contra o governo e seus desdobramentos para o clima em meio à pandemia. Na quarta-feira, o plenário do STF avalia a legalidade do inquérito sobre fake news.

Agenda externa

Além do reflexo da reunião da Opep+ que ocorre neste fim de semana, os próximos dias nos mercados internacionais terão indicadores importantes para o cenário econômico.

Na quarta-feira o Fomc anuncia sua decisão de política monetária, com a estimativa ampla do mercado de manutenção dos juros nos EUA.

Apesar do mercado já ter precificado a decisão, após o Payroll desta sexta mostrar um efeito menor que esperado da pandemia no emprego no país, os investidores ficarão de olho no que os dirigentes do Federal Reserve irão falar após a decisão, com destaque especial para a coletiva do presidente do BC americano, Jerome Powell. Nos EUA ainda saem os dados de inflação.

Ainda neste domingo sai o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão, enquanto na terça sai o dado de crescimento econômico da Zona do Euro. Também na Europa, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, discursa na segunda-feira (8).

O mercado segue ainda monitorando a tensão entre governo Trump e a China, que foi amenizada nos últimos dias, além dos protestos nos EUA, que diminuíram mas seguem reverberando no noticiário.

Clique aqui para conferir a agenda completa de indicadores.

O Segredo das Tesourarias: aprenda como lucrar da mesma forma que os bancos em um curso gratuito do analista e matemático Su Chong Wei