RADAR INFOMONEY Programa desta quinta-feira analisa as falas de Bolsonaro e de líderes globais na Cúpula do Clima e qual foi o impacto nos mercados; assista

Programa desta quinta-feira analisa as falas de Bolsonaro e de líderes globais na Cúpula do Clima e qual foi o impacto nos mercados; assista

Inflação

IPC-S desacelera para 0,45% em novembro ante outubro

Cinco dos oito grupos que compõem o indicador aceleraram a alta de preços registrada na terceira quadrissemana de novembro

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) desacelerou para uma alta de 0,45 por cento na quarta quadrissemana de novembro, que corresponde ao fechamento do mês, depois de encerrar outubro com elevação de 0,48 por cento, informou a FGV (Fundação Getulio Vargas) nesta segunda-feira (3).

Entretanto, houve aceleração dos preços em relação à terceira quadrissemana de novembro, quando o indicador havia apresentado elevação de 0,38 por cento, devido principalmente ao grupo Alimentos.

No acumulado do ano, o IPC-S registra alta de 5,05 por cento e, nos últimos 12 meses, de 5,89 por cento, de acordo com a FGV.

Cinco dos oito grupos que compõem o indicador aceleraram a alta de preços ante a terceira quadrissemana de novembro. A principal contribuição para este resultado partiu do grupo Alimentação, que acelerou de 0,18 para 0,53 por cento na quarta quadrissemana de novembro.

Nesta classe de despesa, destacaram-se os itens hortaliças e legumes (-11,94 para -9,43 por cento) e carnes bovinas (-1,12 para -0,02 por cento).

Também mostraram aceleração os preços de Habitação (0,51 para 0,59 por cento), Vestuário (0,83 para 1,02 por cento), Despesas Diversas (0,20 para 0,34 por cento) e Educação, Leitura e Recreação (0,67 para 0,72 por cento).

Por sua vez, registraram decréscimo nas taxas de variação, na comparação com a terceira quadrissemana, os grupos Transportes (0,22 para 0,03 por cento), Saúde e Cuidados Pessoais (0,52 para 0,42 por cento) e Comunicação (0,08 para 0,04 por cento).

Apesar do resultado, a expectativa para este final de ano é de que os preços dos produtos agropecuários recuem, o que já vem acontecendo no atacado.

Na semana passada, o IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) registrou queda de 0,03 por cento em novembro, ante variação positiva de 0,02 por cento em outubro, influenciado principalmente pelo recuo dos preços no atacado e pela desaceleração dos alimentos no varejo.

PUBLICIDADE