Tira dúvidas

Investindo em ações: entenda qual é a diferença entre dividendos e juros sobre capital próprio

Leandro Rassier, especialista em administração financeira, explica vantagens e desvantagens de se investir em ações com dicas para quem quer começar do zero

celular ações investidor compra venda home broker
(Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Que o mercado financeiro brasileiro tem vivido uma verdadeira reviravolta nos últimos meses não é novidade. Com a queda intensa na taxa básica de juros, a Selic, levada ao seu menor patamar histórico em 2%, os investidores brasileiros têm realizado uma migração em massa para a bolsa, em busca de investimentos mais lucrativos do que a poupança.

Neste cenário, entender mais sobre as propriedades dos produtos de investimento é crucial para quem está chegando agora na renda variável. Quem investe em ações, por exemplo, pode ver seu patrimônio aumentar de duas maneiras: a primeira e mais conhecida, é por meio da valorização dos ativos, enquanto a segunda se dá através da distribuição de parte do lucro das empresas de capital aberto. Para saber mais sobre como montar uma carteira de investimentos na prática, clique aqui.

Esses lucros são distribuídos de acordo com a quantidade de ações que cada investidor possui e podem vir por meio de dividendos ou de juros sobre capital próprio. Para te ajudar a entender um pouco mais sobre cada um desses métodos, conversamos com Leandro Rassier, especialista em administração financeira e investimentos, que explicou com detalhes a diferença e as vantagens e desvantagens de cada um. Confira:

O que são dividendos?

Como já dito, dividendo é o nome dado a uma das formas de distribuição de lucro das empresas listadas na bolsa entre seus acionistas. Essa remuneração é feita em dinheiro e anunciada pelo Conselho de Administração com datas específicas de pagamento.

“Esse pagamento é feito de forma proporcional, ou seja, quanto mais ações da empresa você tiver, mais dividendos você vai receber periodicamente”, explica Rassier.

Segundo o especialista, uma das vantagens deste modelo de distribuidor é que o investidor pessoa física não precisar pagar imposto sobre o valor recebido. “Se trata de um resultado positivo líquido sobre o valor do lucro, ou seja, o investidor já recebe o valor descontado dos tributos”, afirma.

E quanto aos juros sobre capital próprio?

Já os juros sobre capital próprio são uma outra forma de remuneração do acionista, bastante utilizada por empresas de capital aberto como um mecanismo de reduzir parte de sua carga tributária.

Segundo Rassier, neste formato de pagamento, o dinheiro destinado aos acionistas entra na contabilidade da empresa como despesa financeira, o que reduz a base de cálculo da empresa. “No caso, quem paga os impostos são os investidores, que são tributados em 15% sobre esse valor no imposto de renda”, explica.

“Tudo depende da empresa que o investidor decidir ser acionista. Algumas empresas optam pelas duas modalidades de distribuição de lucro e, por isso é interessante estudar bem a empresa antes de comprar suas ações.”

Rassier também é professor de investimentos da Xpeed School e, nesta semana, ele disponibilizou uma série gratuita para ajudar quem deseja começar a investir, mas não sabe por onde começar. Para acessar a série na íntegra, clique aqui.

Qual empresa escolher para investir?

Chegada a hora de escolher em qual empresa investir, Rassier recomenda que os investidores analisem os balanços de cada uma, já mentalizando qual estratégia de pagamento de lucros é mais condizente com seus interesses.

“Tanto os dividendos quanto os juros sobre capital próprio proporcionam uma renda recorrente para o acionista. Se o objetivo do investidor for ter foco nos proventos, o ideal é procurar por ações de empresas boas pagadoras de dividendos”, explica.

Sobre quais pontos levar em consideração durante esse processo de análise, Rassier destaca a análise de balanços e dos setores nos quais essas empresas estão inseridas.

“Para quem tem essa visão de longo prazo, o ideal é olhar com calma os números dessa empresa, se ela é lucrativa, se ela é boa pagadora de dividendos e como ela está posicionada no seu setor. Ela é líder desse setor? O mercado em que ela atua é um mercado promissor?”, destaca.

Em sua série, Rassier deu mais detalhes sobre como escolher uma empresa para investir e também sobre como montar uma carteira diversificada. As aulas já estão liberadas, mas ficarão disponíveis apenas até domingo, 08. Para ter acesso a este conteúdo gratuito, clique aqui.