Os beneficiados

Investidores terão isenção de IR na compra de 7 ações; veja a lista da CVM

Lista de beneficiadas inclui Nutriplant, Senior Solution, HRT, Renar Maçãs, General Shopping, Brasil Agro e CR2

SÃO PAULO – A tão aguardada lista das empresas cujos investidores terão isenção de Imposto de Renda na compra das ações foi finalmente anunciada nesta sexta-feira (11) pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Nutriplant (NUTR3), Senior Solution (SNSL3), HRT (HRTP3), Renar Maçãs (RNAR3), General Shopping (GSHP3), Brasil Agro (AGRO3) e CR2 (CRDE3) são as 7 small caps brasileiras que comemoram o anúncio.

O pacotão foi visto com bons olhos por uma parcela expressiva dos especialistas do mercado financeiro. Para muitos, foi o primeiro grande acerto do governo no mercado de capitais depois de um período de forte controvérsia, com o intervencionismo da equipe econômica desagradando a maioria liberal dos investidores. O assessor de investimentos da XP Investimentos, Leandro Salles, ressalta que os incentivos devem ser positivos em diversos aspectos: a isenção de IR, por exemplo, pode tornar o investimento em Bolsa mais atraente, inclusive para quem jamais se arriscou no mercado de renda variável.

Bernardo Gomes, presidente da empresa de desenvolvimento de softwares Senior Solution (SNSL3) e representante do grupo das “small caps” beneficiadas com as medidas, diz que o principal desafio enfrentado pelos empreendedores no Brasil é a dificuldade em acessar recursos financeiros para levar à frente seus planos e projetos de desenvolvimento. Na visão dele, este seria um dos principais pontos que a medida anunciada podem melhorar.

PUBLICIDADE

“Vejo com otimismo as medidas de estímulo para transformar o mercado de capitais em uma fonte consistente de financiamento para esse segmento. As pequenas e médias empresas já representam uma parcela importante da economia brasileira. E, com esse impulso, poderão acelerar ainda mais seu crescimento, gerando retorno econômico e social para o País, com o aumento da competitividade, da criação de empregos, do pagamento de tributos e da geração de valor para seus investidores”, afirmou durante o evento. Gomes, no entanto, destaca que as novas medidas não deve trazer mudanças nas estratégias da Senior Solution no sentido de novos aportes não planejados na Bolsa para que a companhia se beneficie dos incentivos.

Apesar de os impactos serem bem vistos pelo mercado, é possível que os efeitos disso só comecem a ser sentidos no ano que vem. Ou seja, o pacotão pode ser insuficiente para evitar que 2014 passe em branco no quesito IPOs (Oferta Pública Inicial) na Bolsa. Como o próprio Mantega afirmou, trata-se da criação de uma “geração de ações incentivadas“, com impactos previstos para o longo prazo. Gomes complementou a fala do ministro argumentando que a realização de abertura de capital dentro de uma empresa demanda tempo em um processo de determinação de estratégias.

A medida é uma das iniciativas do governo para a entrada de empresas pequenas e médias na Bolsa bem como a maior participação do investidor pessoa física nas movimentações do mercado de capitais nacional. O plano anunciado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante evento realizado na sede da BM&FBovespa no mês passado, foi uma parceria entre Governo Federal, ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), CVM e FINEP (Agência Brasileira de Inovação).