Ouro digital

Investidor bilionário Bill Miller revela que 50% de sua riqueza pessoal está em Bitcoin

O famoso gestor de fundos disse que conheceu o BTC em 2014 em uma palestra

Por  CoinDesk -

O gestor de fundos e bilionário Bill Miller está tão otimista em relação ao Bitcoin (BTC) que a criptomoeda e os investimentos ligados a esse mercado agora representam 50% de seus ativos pessoais, revelou ele ao site WealthTrack na sexta-feira (7).

Miller, que ganhou fama por vencer o índice S&P 500 por 15 anos consecutivos, de 1991 a 2005, como gestor de fundos da Legg Mason (um recorde no mercado financeiro), já investiu pesadamente em BTC em fundos que ele administrava, mas a revelação sobre seu portfólio pessoal é novidade.

Miller disse que começou a comprar Bitcoin para sua carteira em 2014, quando a criptomoeda valia US$ 200, depois de ouvir uma palestra de Wences Casares na conferência anual de mídia e tecnologia da cidade de Sun Valley, nos Estados Unidos. Casares é conhecido como o “Paciente Zero” do BTC por apresentá-lo aos círculos do Vale do Silício.

Ele adquiriu mais BTC ao longo do tempo, mas depois parou de comprar a criptomoeda. Em 2021, no entanto, quando o ativo atingiu novas máximas e começou a cair acentuadamente, ele achou que era um bom momento para entrar de novo no mercado.

Miller comprou mais Bitcoin quando a moeda era negociada a US$ 30.000, abaixo de sua alta de pouco menos de US$ 69.000 naquele ano, argumentando que havia muito mais pessoas usando a moeda, assim como empresas de capital de risco e outros.

Ele ressaltou que uma parte de seus investimentos pessoais em Bitcoin estava em empresas intimamente ligadas ao seu preço, como a mineradora Stronghold Digital (SDIG) e a gestora MicroStrategy (MSTR), que detêm bilhões de dólares em BTC no balanço.

Miller disse acreditar que o BTC é como “ouro digital”, pois tem uma oferta estritamente limitada. Falou também que só recentemente resolveu sair do papel de “observador do Bitcoin” para ser chamado de “bitcoin bull” (alguém que acredita na alta da criptomoeda). Ele ainda afirmou que o BTC é uma tecnologia com poder para mudar o mercado.

Apesar de sua própria posição, o conselho de Miller para o investidor médio é colocar apenas 1% de seu patrimônio líquido em BTC. Ele disse o seguinte: “Se você colocar 1% de seu portfólio na criptomoeda para diversificação, mesmo que ela vá para zero, o que eu acho altamente improvável, mas possível, você sempre pode se dar ao luxo de perder 1%.”

Sua principal justificativa para esse conselho é que o BTC representa um investimento único no momento.

“Acho que o investidor médio deve se perguntar o que tem em seu portfólio com esse tipo de histórico – número um, é muito, muito pouco penetrado; pode ser uma segurança contra catástrofes financeiras que ninguém mais pode fornecer; e pode subir dez ou cinquenta vezes. A resposta é: nada”.

Quer aprender a investir em criptoativos de graça, de forma prática e inteligente? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir

Compartilhe