Instabilidade toma conta dos mercados no fim da sessão; Ibovespa vira e cai

Fusão entre Sadia e Perdigão rouba a cena e ações das empresas lideram as perdas do índice; dólar recua a R$ 2,035

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Bem que a bolsa brasileira tentou, mas a instabilidade verificada em Wall Street falou mais alto. Lá fora, fracos indicadores e tensões envolvendo o segmento de cartões de crédito ofuscaram o ânimo com bancos e o dia foi de instabilidade. Aqui dentro, o Ibovespa não resistiu ao mau humor externo e fechou no campo negativo (-0,23%) após o rali da véspera. De um lado, Vale e imobiliárias deram fôlego ao índice, mas companhias produtoras de alimentos trouxeram cautela, com as atenções voltadas à fusão de Sadia e Perdigão.

Por noventa votos contra cinco, o Senado dos Estados Unidos aprovou medidas objetivando proteger os consumidores de taxas elevadas e de penalidades por atrasos no pagamento das faturas de cartões de crédito. Ainda no âmbito econômico, o Housing Starts, indicador que mede o número de casas em início de construção nos EUA, veio abaixo do esperado no índice anualizado de abril e renovou as tensões com o setor.

Em contrapartida, a fim de dissipar qualquer chance de interferência do Estado em seu gerenciamento, os bancos Goldman Sachs, Morgan Stanley e JPMorgan Chase declararam que almejam pagar o quanto antes os empréstimos do TARP (Troubled Asset Relief Program) ao Tesouro dos EUA, segundo a mídia internacional. Reagindo positivamente aos rumores, os papéis do setor tiveram fortes ganhos nesta sessão.

Aprenda a investir na bolsa

Também pesando para o lado negativo, a Home Depot (-5,34%) anunciou que suas receitas mostraram declínio próximo de 10% no primeiro trimestre deste ano. Por sua vez, a General Motors viu seus papéis dispararem 7,63% nesta sessão. A montadora pretende encerrar a atividade de 40% de suas concessionárias norte-americanas e realizar concessões, visando diminuir suas dívidas.

Fusão em foco

Contrariando os ganhos da véspera, o Ibovespa acompanhou a instabilidade verificada em Wall Street e fechou no campo negativo após o rali da véspera. Também fora observada de perto a união entre Sadia e Perdigão, que criará uma gigante da indústria de alimentos, denominada BRF (Brasil Foods).

Apesar da confirmação da fusão entre empresa, os papéis de ambas figuraram entre as maiores perdas do índice. O acordo está condicionado à adesão dos acionistas de ambas as empresas e à aprovação das autoridades brasileiras de defesa da concorrência. Conforme comunicado publicado, a operação compreende a alteração da denominação de Perdigão para BRF, a reorganização societária das companhias e a incorporação das ações da Sadia pela BRF.

Também na ponta negativa do índice figuraram os papéis CPFL Energia, que lideraram o volume de negócios do benchmark. Especula-se no mercado que a queda estaria relacionada à venda direta de uma fatia da participação da Bradespar – cujas ações ficaram entre os destaques de alta do Ibovespa – na companhia, a qual não foi confirmada por nenhuma das partes.

Já na ponta positiva, destaque para as ações da Gafisa, que encontraram espaço para estender os ganhos da véspera. A disparada dos papéis de incorporadoras imobiliárias tem raízes em perspectivas otimistas do Credit Suisse para o setor. O banco suíço afirmou que as empresas do setor irão se beneficiar dos incentivos do governo ao segmento e também da queda na taxa de juros.

Ibovespa vira e cai

Após operar com valorização por boa parte do intraday, o Ibovespa inverteu tendência e fechou com baixa de 0,23%, nos 51.346 pontos. O volume financeiro do índice totalizou R$ 5,63 bilhões.

PUBLICIDADE

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1Links
PRGA3 Perdigão ON 33,99 -6,36 +14,29 107,41M
CPFE3 CPFL Energia ON 31,74 -5,68 +9,77 628,05M
BTOW3 B2W Varejo ON 37,00 -5,27 +56,54 32,98M
SDIA4 Sadia PN 4,32 -5,05 +15,20 122,70M
JBSS3 JBS ON 6,32 -4,96 +29,67 16,94M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1Links
GFSA3 Gafisa ON 19,40 +5,49 +86,92 55,68M
BRAP4 Bradespar PN 30,35 +5,16 +62,13 71,90M
USIM5 Usiminas PNA 35,20 +4,14 +35,43 229,43M
USIM3 Usiminas ON 33,45 +3,40 +31,91 16,96M
CYRE3 Cyrela Realty ON 14,50 +2,84 +59,78 38,23M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o Índice Bovespa, foram :

CódigoAtivoCot R$Var %Vol1Vol 30d1Neg
CPFE3 CPFL Energia ON 31,74-5,68628,05M16,61M 6.265
VALE5 Vale Rio Doce PNA 33,31+0,54626,11M587,78M 20.003
PETR4 Petrobras PN32,72+0,03623,34M696,50M 15.612
BVMF3 BMF Bovespa ON 10,90-3,54251,10M196,35M 9.934
USIM5 Usiminas PNA35,20+4,14229,43M138,10M 9.557

* – Lote de mil ações
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)

Dólar cai

O dólar comercial apresentou nesta terça-feira a mesma trajetória de perdas vista na sessão anterior. Contudo, a desvalorização gradual da divisa norte-americana nesta sessão fez com que encerrasse o dia com queda de 1,98%, cotada a R$ 2,035, o menor patamar desde o dia 2 de outubro do ano passado – quando fechou valendo R$ 2,021.

O Banco Central brasileiro realizou pela oitava vez consecutiva a compra de dólares em leilão no mercado à vista. A taxa aceita na operação foi de R$ 2,057, ocorrendo entre às 12h18 e às 12h28 (horário de Brasília). O dinheiro adquirido no leilão será destinado às reservas internacionais, atualmente em torno de US$ 203 bilhões.

Na agenda doméstica, o IPC-Fipe (Índice de Preços ao Consumidor) referente à segunda prévia de maio apontou inflação de 0,34%, taxa idêntica à registrada no acumulado da primeira quadrissemana.

Renda Fixa

No mercado de renda fixa, os juros futuros encerraram sem tendência definida na BM&F Bovespa nesta terça-feira. O contrato com vencimento em janeiro de 2010, que apresenta maior liquidez, encerrou apontando taxa de 9,29%, baixa de 0,04 ponto percentual frente à apresentada na sessão anterior.

PUBLICIDADE

No mercado de títulos da dívida externa brasileira, o Global 40, bônus mais líquido, encerrou cotado a 131,10% de seu valor de face, o que representa uma alta de 0,22%.

O risco-país, calculado pelo conglomerado norte-americano JP Morgan, fechou cotado a 310 pontos-base, baixa de 8 pontos em relação ao fechamento anterior.

Bolsas Internacionais

O índice Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas , fechou em leve baixa de 0,34% e atingiu 8.475 pontos, seguindo esta tendência, o índice S&P 500 desvalorizou-se 0,17%, a 908 pontos.

Por outro lado, a Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia norte-americanas, fechou em leve alta de 0,13% atingindo 1.735 pontos.

Na Europa, o índice DAX 30 da bolsa de Frankfurt registrou alta de 2,22% e atingiu 4.960 pontos; no mesmo sentido, o índice CAC 40 da bolsa de Paris valorizou-se 0,91% chegando a 3.275 pontos e o FTSE 100, da bolsa de Londres, subiu 0,81% a 4.482 pontos.

Confira os indicadores previstos para a quarta-feira

Na quarta-feira (20), a FGV (Fundação Getulio Vargas) apresenta o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) do segundo decêndio de maio, que é bastante utilizado pelo mercado, e retrata a evolução geral de preços na economia.

Lá fora, será publicado o relatório de Estoques de Petróleo norte-americano, semanalmente organizado pela EIA (Energy Information Administration). O documento é considerado uma importante medida, já que os EUA são o maior consumidor do combustível.

Ainda nos EUA, o Federal Reserve reporta a ata de sua última reunião. Na mesma linha, o Banco da Inglaterra revela a minuta da última reunião, realizada em maio.

PUBLICIDADE