5 assuntos

Índices futuros dos EUA operam estáveis, petróleo cai mais de 3% com lockdown em Xangai; arrecadação e mais assuntos do mercado hoje

Semana promete ser movimentada, com atenção aos dados de emprego nos EUA e Brasil e reta final da temporada de resultados por aqui

Por  Equipe InfoMoney -

Os índices futuros dos EUA operam entre leves perdas e ganhos na manhã desta segunda-feira (28), enquanto as ações asiáticas fecharam mistas, com os investidores aguardando uma série de dados econômicos importantes e continuando de olho nos aumentos das taxas de juros do Federal Reserve (Fed).

Os mercados também seguem acompanhando de perto os eventos na Ucrânia mais de um mês depois que a Rússia começou sua invasão do país. 

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy reiterou que  seu país está preparado para discutir a adoção de um status neutro como parte de um acordo de paz com a Rússia. Enquanto isso, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, procurou esclarecer os comentários do presidente Joe Biden de que o presidente russo Vladimir Putin  “não pode permanecer no poder”.

As cotações do petróleo recuam mais de 3%, com o aumento dos temores sobre a demanda de combustível mais fraca na China, depois que seu centro financeiro de Xangai iniciou um bloqueio planejado de dois estágios na segunda-feira para conter um aumento nas infecções por Covid-19.

Em indicadores, nos EUA, os investidores estão ansiosos para o Job Openings and Labor Turnover Survey, ou JOLTS, esta semana. O relatório JOLTS é um conjunto de dados de emprego que o Fed está acompanhando de perto à medida que aperta a política monetária. A ADP também divulgará seus dados de folhas de pagamento no setor privado na quarta e, na sequência, será divulgado o payroll, relatório de emprego, na sexta-feira.

Por aqui, a semana também será movimentada, com destaque para os números de emprego e atividade. Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) estão previstos para terça-feira (29), às 9h30 (horário de Brasília). Já a taxa de desemprego de fevereiro medida pela pesquisa mensal PNAD Contínua sai na quinta-feira (31) – a previsão do Itaú é de 11,4%, enquanto a Necton projeta taxa de 11,3%.

A safra de balanços caminha para  areta final, com a divulgação de resultados da Ânima, antes da abertura dos mercados. Depois do fechamento, saem os números da Dasa, HBR Realty e Mosaico.

Confira mais destaques:

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam mistos nesta manhã de segunda-feira (28), depois de abrir em baixa. Os investidores aguardam por uma série de indicadores importantes e continuam atentos à postura do Federal Reserve, em meio aos desdobramentos da guerra na Ucrânia.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), -0,02%
  • S&P 500 Futuro (EUA), -0,08%
  • Nasdaq Futuro (EUA), -0,27%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam entre altas e baixas, com destaque para dados divulgados no fim de semana que mostraram que os lucros industriais chineses cresceram nos dois primeiros meses do ano. Os lucros das empresas industriais da China subiram 5,0% no período de janeiro a fevereiro em comparação com o ano anterior.

Investidores também aguardam pistas sobre a flexibilização da política das autoridades chinesas em meio a preocupações com as perspectivas para a potência econômica, enquanto ela lida com seu pior surto de Covid desde o auge inicial da pandemia no início de 2020. Xangai, a maior cidade da China, iniciou um bloqueio em duas etapas.

  • Shanghai SE (China), +0,07%
  • Nikkei (Japão), -0,73% 
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +1,31% 
  • Kospi (Coreia do Sul), -0,02%

Europa

Os mercados europeus nesta segunda-feira, sobem com os investidores monitorando os desenvolvimentos na guerra entre a Ucrânia e a Rússia.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +0,34%
  • DAX (Alemanha), +1,44%
  • CAC 40 (França), +1,27%
  • FTSE MIB (Itália), +1,36%

Commodities

As cotações do petróleo caem mais de 3% na sessão de hoje, com a elevação dos temores sobre a demanda de combustível mais fraca na China, depois que seu centro financeiro de Xangai começou um bloqueio planejado de dois estágios na segunda-feira para conter um aumento nas infecções por Covid-19. 

  • Petróleo WTI, -4,15%, a US$ 109,22 o barril
  • Petróleo Brent, -3,63%, a US$ 116,27 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 4,44%, a 870,00 iuanes, o equivalente a US$ 136,60

Bitcoin

  • Bitcoin, +5,27% a US$ 46.996,27 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

A semana começa com o INCC-M (8:00h), com consenso Refinitiv de alta de 0,51% na base mensal e segue com as projeções do Boletim Focus no Brasil, cuja divulgação foi adiada para 10h. 

No começo da tarde, tem estoques no atacado nos EUA (9:30h) e dados do investimento estrangeiro direto no Brasil (9:30h). De tarde, o Brasil divulga a arrecadação de impostos (14:30h), com expectativa de atingir R$ 149 bilhões, o que significa um aumento real de 5,6% ano a ano, segundo estimativas de analistas do Itaú. 

Ainda em destaque, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, reiterou neste domingo a mensagem de que o ciclo de aperto monetário vai terminar em maio, com a Selic a 12,75% ao ano. Durante entrevista ao programa Canal Livre, da Band, ele deixou, porém, a porta aberta para o BC voltar atrás na avaliação, e continuar subindo os juros na reunião seguinte do Comitê de Política Monetária (Copom), em caso de escalada da guerra na Ucrânia.

“Se houver impacto da guerra, podemos mudar. Mas entendemos que 12,75% seria taxa capaz de levar a inflação à meta no horizonte relevante (da política monetária)”, sustentou Campos Neto.

Brasil

8h: FGV divulga INCC-M de março

10h: Boletim Focus semanal

9h30: Investimento direto no país de fevereiro

14h30: Arrecadação federal de fevereiro

EUA

9h30: Balança comercial de bens de fevereiro

9h30: Nível de estoques do varejo excluindo automóveis de fevereiro

9h30: Estoques no atacado mensal

3. Bolsonaro diz que às vezes ‘embrulha estômago’ cumprir constituição

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (27), durante evento partidário, que às vezes fica com o “estômago embrulhado” por precisar respeitar a Constituição do país. Ele também disse que tomará decisões “contra quem quer que seja” se tiver apoio de seu “exército” de apoiadores no que chamou de “luta do bem contra o mal”.

O ato partidário aconteceu no mesmo dia em que o PL conseguiu no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma decisão liminar para proibir manifestações políticas no festival de música Lollapalooza, após artistas como Pabllo Vittar exaltarem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em suas apresentações

Lula repete que vai “abrasileirar” o preço do combustível 

O ex-presidente Lula criticou no sábado a condução da economia pelo governo de Jair Bolsonaro e o aumento do preço dos combustíveis. Ele reiterou que pretende “abrasileirar” os preços da energia, caso seja eleito. “A Petrobras vai ter que voltar a ser do povo brasileiro. Temos que ter coragem para não deixar privatizar os Correios, o Banco do Brasil, a Caixa. Vamos ‘abrasileirar’ o preço do combustível, do óleo diesel e do gás de cozinha”, disse, ao discursar durante o Festival Vermelho, ato em comemoração aos 100 anos do PCdoB. 

4. Covid

No último domingo (27), o Brasil registrou 114 mortes e 10.673 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 238, recuo de 43% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 30.226, o que representa queda de 33% em relação ao patamar de 14 dias antes. 

Chegou a 159.922.593 de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 74,44% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 175.454.539 pessoas, o que representa 81,67% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 75.172.761 pessoas, ou 34,99% da população.

5. Radar Corporativo

A temporada de balanço continua com a divulgação de resultados da Dasa (DASA3), a HBR Realty (HBRE3) e a Mosaico ([ativo=MOSI3]), após fechamento dos mercados.

Ânima (ANIM3)

A Ânima (ANIM3) registrou prejuízo líquido de R$ 152,8 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), o que representa um crescimento de 361,8% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu 162,9% no último trimestre do ano passado, totalizando R$ 140,5 milhões.

EspaçoLaser (ESPA3

A EspaçoLaser (ESPA3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 24,4 milhões no quarto trimestre de 2021, uma queda de 33,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

PDG (PDGR3)

A PDG (PDGR3) registrou lucro líquido de R$ 348,7 milhões no quarto trimestre de 2021. O valor é cinco vezes maior do que o obtido no mesmo período do ano anterior.

Laboratório Hermes Pardini (PARD3

O conselho de administração da Hermes Pardini (PARD3) aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor bruto total de R$ 13,8 milhões, equivalentes a R$ 0,10914041331 por ação.

O pagamento dos juros sobre capital próprio será realizado no dia 11 de abril de 2022. Farão jus ao pagamento os acionistas da base acionária da Companhia em 30 de março de 2022.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe