Bolsas mundiais

Índices futuros americanos têm leve alta após semana com fortes resultados de empresas

A maioria das bolsas da Europa avança, ainda que no radar ainda esteja o receio com a propagação da variante delta no continente

Por  Equipe InfoMoney

Os índices futuros americanos sobem nesta sexta-feira (16), que encerra a primeira semana de divulgação de resultados nos Estados Unidos. A maioria das bolsas da Europa avança, ainda que no radar ainda esteja o receio com a propagação da variante delta no continente, enquanto na Ásia as principais bolsas têm quedas.

Algumas das maiores instituições financeiras dos Estados Unidos divulgaram fortes lucros e receitas em meio à recuperação econômica, mas a reação do mercado tem sido morna. No total, 18 empresas que compõem o índice S&P 500 tiveram resultados no segundo trimestre em média 18% acima do previsto por analistas. Mas tiveram em média queda de 0,58% no valor das ações após a divulgação nesta semana, em que o índice S&P como um todo recuou 0,2%.

Ações de grandes empresas de tecnologia, por outro lado, tiveram desempenho forte na semana. As da Apple subiram 2,3%; as de Netflix, Alphabet e Microsoft subiram ao menos 1,1% cada uma.

Também no radar, estão as falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e da secretária do Tesouro, Janet Yellen, sobre a inflação. Na quinta, Yellen afirmou que prevê que os preços podem continuar a subir por vários meses antes de “desaquecerem a níveis normais”. E ressaltou que é preciso manter atenção sobre o indicador.

Na sexta, o Banco do Japão reduziu sua expectativa para o PIB real de 2021 dos 4% previstos em abril para 3,8%. Também manteve a meta da curva de rendimentos de títulos do governo de curto prazo em -0,1%, e para títulos com vencimento em dez anos em 0%.

Na sexta, as ações do índice Nikkei recuaram 0,98%; na Coreia do Sul, o Kospi recuou 0,28%; na China continental, o Shanghai composto caiu 0,71%; em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,2%.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,2%, com destaque positivo para ações do setor de lazer e negativo para as do setor de recursos básicos.

Nesta sexta, investidores europeus também monitoram a divulgação do índice de preços ao consumidor relativo à Zona do Euro.

No continente, a aceleração de novas contaminações por Covid por conta da variante delta do coronavírus continua a pesar entre os investidores. Vários países europeus vêm retomando medidas de distanciamento social. O Reino Unido, no entanto, mantém os planos de suspender as últimas medidas em vigor no país a partir da próxima segunda.

Veja o desempenho dos principais indicadores às 6h40 (horário de Brasília):
Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,13%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,11%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,11%
Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,36%
*Dax (Alemanha), +0,34%
*CAC 40 (França), -0,1%
*FTSE MIB (Itália), +0,29%
Ásia
*Nikkei (Japão), -0,98% (fechado)
*Shanghai SE (China), -0,71% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,03% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,28% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +0,586%, a US$ 72,07 o barril
*Petróleo Brent, +0,54%, a US$ 73,87 o barril
*Bitcoin, -3,24%, a US$ 31.440,07
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 1,89%, cotados a 1.241,0 iuanes, equivalente hoje a US$ 191,92 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,47

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 170 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.

Compartilhe