Indicadores econômicos decepcionam e puxam baixa nas bolsas norte-americanas

Construção de casas e índice de preços ao produtor vieram piores que as projeções; ajuste das commodities também pesa

Por  Equipe InfoMoney

SÃO PAULO – As principais bolsas norte-americanas encerraram em queda nesta terça-feira (20), após indicadores econômicos frustrantes sobrepujarem a divulgação de resultados corporativos favoráveis. As commodities se ajustaram após seis sessões consecutivas de alta e também impactaram a renda variável.

Tanto a construção de casas como as autorizações para novas construções recuaram em setembro, vindo abaixo das expectativas e dos números do mês anterior. O índice de preços do produtor também decepcionou.

Constutoras e commodities em queda

As ações das principais construtoras encerraram em baixa, avaliando os indicadores do setor. A Pulte Homes viu seus papéis se desvalorizarem 5%, enquanto os da Standard Pacific caíram 2,61%. Meritage Homes (-3,58%), M/I Homes (-3,29%) e Lennar Corporation (-2,85%) também tiveram queda em suas ações.

Com a desvalorização no preço das commodities, os papéis das gigantes ExxonMobil e Chevron encerraram com baixas de 0,82% e 0,81%, respectivamente.

Caterpillar e Apple têm bons resultados

Além de bater as expectativas dos analistas, a Caterpillar afirmou que vê sinais de recuperação e aumentou suas projeções para esse ano. Suas ações encerraram em alta de 3,04%.

As ações da Apple, por sua vez, fecharam com forte avanço de 4,69%. A empresa registrou lucro por ação de US$ 1,82, ante projeção de US$ 1,42. As vendas também vieram acima das estimativas.

A Texas Instruments também bateu as expectativas de receita e lucro no resultado divulgado após o último pregão, e viu suas ações subirem 0,60%.

Destaques de baixa

As ações da Boeing encerraram em queda de 2,92% após a gigante do setor de aviação ter sua recomendação reduzida, de “em linha com o mercado” para “abaixo do mercado” pelo Morgan Stanley.

Já a Boston Scientific viu seus papéis encerrarem em forte baixa de 15,65%, após o Wells Fargo diminuir sua recomendação de “acima da média do mercado” para “em linha com o mercado”.

Bancos

As ações do Morgan Stanley, que divulga resultado ainda esta semana, registraram queda de 1,78% após o anúncio de que o banco vendeu sua unidade de gestão de ativos de varejo para a Invesco, por US$ 1,5 bilhão.

O Wells Fargo, que também publica resultados esta semana, fechou em alta de 1,30%. Goldman Sachs e Citigoup viram suas ações se desvalorizarem 0,29% e 2,42%, respectivamente. Os papéis do Bank of America também caíram, 0,87%, enquanto as ações do JPMorgan subiram 0,11%.

Cotações de fechamento

O índice S&P 500, que engloba as 500 principais empresas dos EUA, fechou em baixa de 0,62%, a 1.091 pontos, acumulando no ano forte alta de 20,79%.
O Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia, encerrou o pregão em desvalorização de 0,59%, atingindo 2.163 pontos e subindo 37,19% no ano,
enquanto o Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, apresentou queda de 0,50%, chegando a 10.041 pontos e acumulando no ano forte alta de 14,41%.

%Var DiaPontos%Var 30D%Var Ano
Dow Jones-0,5010.041+2,25+14,41
Nasdaq-0,592.163+1,44+37,19
S&P 500-0,621.091+2,13+20,79

Compartilhe