Indicadores da CNI revelam sólido crescimento da indústria em agosto

Expansão das vendas reais e das horas trabalhadas sem pressionar a capacidade instalada sugere vigor do potencial de produção

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A indústria brasileira seguiu em ritmo forte de atividade em agosto. A conclusão de solidez no crescimento é da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada nesta quarta-feira (3) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

O destaque foram as vendas reais. Após uma expansão de 1,9% em julho, esse indicador apresentou nova alta de 1,3% em agosto, segundo a série livre de influências sazonais. O incremento nas vendas ocorreu para quase todos os segmentos da indústria de transformação. No acumulado em 2007, o crescimento é de 4,3%.

Vigor da capacidade

As horas trabalhadas na produção – variável mais ligada à produção física – sofreram expansão de 0,2% contra julho, no índice dessazonalizado, refletindo que a indústria teve que produzir mais no oitavo mês do ano para atender a demanda dos consumidores. No ano, esse indicador acumula alta de 3,8%.

Apesar do maior dinamismo da indústria, a UCI (Utilização da Capacidade Instalada) de agosto atingiu estabilidade aos 82,3%, no índice dessazonalizado. “A estabilidade da capacidade instalada da indústria, em meio a um cenário de aquecimento da atividade industrial, é um indício de expansão da capacidade produtiva no Brasil”, explica a CNI.

Emprego

O emprego industrial cresceu 0,4% em agosto, após dois meses seguidos de estabilidade. Já os rendimentos pagos não acompanharam o bom momento do setor. No mês passado houve recuo de 2,6% quando comparado a julho. Em 2007, a expansão das remunerações ao trabalhador industrial é de 4,8%.

Compartilhe