Impostos: você sabe quanto vem embutido em suas contas?

Valor que não se refere ao consumo do mês nem sempre recebe a devida atenção dos consumidores

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Todos os meses, antes de pagarmos nossas contas corriqueiras, como as de telefone, gás, água e luz, sempre nos assustamos com o valor e prometemos que iremos economizar.

Entretanto, um detalhe significativo para o total das faturas geralmente é ignorado pela maioria dos consumidores: os impostos e contribuições. Será que você os conhece?

Observe sua conta!

Ao observar atentamente as contas, é possível verificar que as cobranças extras vêm especificadas. No caso do ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços), as empresas costumam apontar a base de cálculo, o percentual cobrado e o valor em reais.

Nas faturas de telefone, existem ainda as contribuições ao Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) e ao Fundo para o desenvolvimento tecnológico das telecomunicações (Funttel).

Contas de luz são as que mais trazem cobranças

Além do ICMS, as faturas de energia elétrica ainda trazem outras cobranças embutidas, como a do Pis/Pasep (Programa de Integração Social/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), Cofins (Contribuição Social para Financiamento da Seguridade Social), Cosip (Contribuição para custeio do serviço de iluminação pública) e ECE (Encargo de Capacidade Emergencial).

O Pis/Pasep tem como finalidade o financiamento do programa do Seguro-Desemprego e o abono aos empregados que recebem até dois salários mínimos mensais. Já a Cofins é destinada a financiar as despesas das áreas de Saúde, Previdência e Assistência Social.

A Cosip é repassada integralmente, servindo para a ampliação dos pontos de iluminação pública, aumento do potencial de Iluminação já instalado, manutenção e pagamento do consumo da Iluminação Pública.

O ECE, por sua vez, é uma espécie de seguro para as termelétricas contratadas pela Comercializadora Brasileira de Energia Elétrica e é cobrado em todas as classes de consumidores, menos os cadastrados como Baixa Renda.

Compartilhe