Impostos: excesso de arrecadação da Receita ficou em R$ 15,413 bilhões

Dessa maneira, Receita desmente alguns órgãos da imprensa que haviam divulgado R$ 35,7 bilhões no período de janeiro a outubro

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A Receita Federal do Brasil desmentiu, nesta sexta-feira (23), que o excesso de arrecadação das receitas que administra, excluindo a previdenciária, tenha ficado em R$ 35,7 bilhões, como divulgado por alguns órgãos da imprensa, afirmando que chegou a R$ 15,413 bilhões no período de janeiro a outubro.

Ainda segundo os números divulgados pela Receita, o acumulado previsto para o mesmo período era de R$ 323,312 bilhões e o que foi efetivamente arrecadado chegou a R$ 338,725 bilhões, acréscimo de 4,77%.

Contribuições para o resultado

Para Raimundo Elói de Carvalho, coordenador de Previsão e Análise da Receita Federal do Brasil, os fatos que mais contribuíram para o resultado foram a recuperação de depósitos judiciais e administrativos, além do esforço de cobrança de devedores.

Conforme veiculado pela Agência Brasil, outros fatores também tiveram a mesma influência, como o maior controle sobre a venda de imóveis e operações em bolsa, a maior lucratividade de empresas dos setores automotivo, financeiro, de metalurgia, de eletricidade e de telecomunicações, bem como o crescimento da abertura de capital em bolsa de valores e venda de salões de empresas.

Compartilhe