After Market

Imbróglio na Usiminas, recompra de eurobonds pela Oi e mais 4 notícias nos destaques

Confira aqui o que acontece no mundo corporativo após o fechamento do pregão desta quarta-feira

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de um pregão bem agitado, entre disparada de Vale e bancos e queda de ações de empresas voltadas à exportação, o noticiário segue mais ameno no after market desta quarta-feira, dando um alívio depois dos dois primeiros dias da semana bem recheados de empresas no radar. Por enquanto, seis empresas aparecem nos destaques, como segue abaixo:

Eletrobras
A Eletrobras (ELET3; ELET6) informou hoje aos acionistas e ao mercado em geral que contratou o escritório de advocacia internacional Hogan Lovells, especializado em investigação corporativa, para avaliar a possível existência de irregularidades que violem as leis anti-corrupção brasileira e dos Estados Unidos.

A empresa disse que as investigações envolverão projetos próprios e participações minoritárias em Sociedades de Propósito Específico (SPEs), com foco nos empreendimentos mais relevantes para o balanço da empresa e naqueles que envolvem construtoras citadas na operação Lava Jato, da Polícia Federal brasileira.

Aprenda a investir na bolsa

Usiminas
O bilionário Lírio Parisotto, que briga na Justiça pela oitava cadeira no conselho de administração da Usiminas (USIM5), sofreu sua sexta derrota nos tribunais em menos de dois meses, informou a coluna Radar, da Veja. A decisão foi tomada na segunda-feira pelo desembargador Vicente de Oliveira Silva, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que apontou “vícios na apuração dos votos” de Parisotto e descumprimento ao acordo de acionistas, que prevê que os três controladores da companhia estejam de acordo com o nome a ocupar a oitava cadeira no conselho. 

Parisotto, um dos maiores investidores individuais do País e importante acionista minoritário da siderúrgica, foi eleito ao conselho em março. No dia da eleição, 13, as ações ordinárias da Usiminas dispararam quase 40% na Bolsa. Um mês depois, no entanto, uma liminar suspendeu a eleição do empresário ao conselho, medida que também suspendeu a eleição de Gentile Rodrigues da Cunha, suplente na vaga de Parisotto. A votação foi questionada pela ítalo-argentina Ternium, que divide o controle da siderúrgica com a japonesa Nippon Steel. 

Oi 
operadora de telecomunicações Oi (OIBR4) anunciou nesta quarta-feira que pretende recomprar 2,09 bilhões de euros em eurobonds, que têm vencimentos entre 2016 e 2017. As antigas notas correspondem a 600 milhões de euros com vencimento em 2016, 500 milhões de euros com vencimento em 2017 e 250 milhões de euros também com vencimento em 2017, emitidas pela Portugal Telecom International Finance. Haverá ainda, a recompra de notas de 739,9 milhões de euros emitidas pela Oi. 

Segundo a Oi, a oferta está condicionada à precificação de uma nova emissão de notas da Oi Brasil Holdings Coöperatief UA.

Cemig
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) adiou mais uma vez o julgamento do processo da Cemig sobre a usina hidrelétrica de Jaguara. A companhia tem um mandado de segurança que permite que a usina continue sob sua concessão até que o mérito do caso seja julgado. 

O caso seria julgado nesta quarta-feira, 10, mas, apesar de ter iniciado às 14h, o julgamento dos processos da pauta da Primeira Seção do STJ ainda não se encerrou. Por isso, os ministros decidiram suspender a sessão e retomar os processos que ainda não foram julgados no dia 24 de junho.

PUBLICIDADE

Até agora, são quatro votos contra o pedido da Cemig e dois a favor. Faltam os votos da Assusete Magalhães, que havia pedido vista na última sessão em que o caso estava pautado, em dezembro, e do ministro Sérgio Kukina. Se os dois votarem a favor da Cemig, o presidente do STJ, Humberto Martins, terá de votar para desempatar o placar.

Arteris
Em comunicado a seus acionistas e ao mercado em geral, a Arteris (ARTR3) anunciou que, conforme lançamento da Nova Etapa do PIL(Programa de Investimento em Logística) pelo Governo Federal, está dando continuidade ao processo de modernização da infraestrutura de transportes do Brasil e de consolidação dos modelos de concessão de rodovias.

A empresa anunicou que além dos R$ 66 bilhões previstos e das novas concessões, há previsão de investimentos em concessões que já existem. Ontem foram anunciados quatro leilões de rodovias que devem acontecer ao longo deste ano e mais onze para o ano que vem, além de outros dois projetos de novas obras estão em andamento e mais nove em avaliação.

Eneva
A Eneva (ENEV3) informou que o fundo exclusivo FIA Dinâmica Energia, do Banco Clássico, passou a deter 130.023.200 ações da companhia, representativas de 15,48% do seu capital social.