IGC: conheça o índice que agrega empresas com bom nível de governança

Apenas empresas que negociem no Novo Mercado, Nivel 1 ou 2 da Bovespa fazem parte do Índice de Governança Corporativa

Por  Camila Schoti

SÃO PAULO – O IGC, Índice de Governança Corporativa, é composto pelos papéis das empresas que são negociadas no Novo Mercado ou estão classificadas nos Níveis 1 ou 2 da Bovespa, e tem o objetivo de medir o desempenho de uma carteira teórica composta por ações de empresas que apresentam bons níveis de governança corporativa.

Desta maneira, todas as ações emitidas por empresas negociadas no Novo Mercado ou classificados nos Níveis 1 ou 2 da Bovespa são elegíveis para integrar o índice, a menos que sua liquidez seja considerada muito baixa.

Critérios de inclusão e exclusão

Para as novas empresas de capital aberto, suas ações deverão ser inclusas no índice após o encerramento do primeiro pregão regular de negociação. Já para as ações das empresas já negociadas na Bovespa, estas serão inclusas após o encerramento do pregão anterior ao seu início de negociação no Novo Mercado ou Nível 1 e 2.

Entretanto, nos períodos de revisão da carteira teórica do IGC, uma ação poderá ser excluída caso apresente nível de liquidez muito reduzido ou se a companhia emissora do papel entrar em regime de concordata ou falência. No caso de oferta pública que resultar na retirada de circulação de uma parcela significativa de ações do mercado, estas também podem ser excluídas da carteira.

Ponderação do índice

O peso de cada ação no índice é determinado pela multiplicação de seu valor de mercado, por um fator de governança, de forma que ações que negociam no Novo Mercado terá fator igual a 2, os papéis do Nível 2 terão fator igual a 1,5 e as ações do Nível 1 terão fator igual a 1.

Além disso, a participação de cada empresa no índice não poderá superar os 20% quando de sua inclusão ou nas reavaliações periódicas. Caso isso seja constatado, ajustes deverão ser efetuados para adequar o peso do papel a este limite.

Data base e vigência do índice

A base do índice, fixada em 1.000 pontos para a data de 25 de junho de 2001, é atualizada três vezes ao ano, ao final de abril, agosto e dezembro de cada ano, quando reavaliações serão efetuadas para verificar se nenhuma empresa está ultrapassando o limite máximo de participação.

Vale ressaltar que o peso específico de cada ação no índice poderá ser alterado ao longo de sua vigência na carteira, de acordo com a evolução de seus preços e/ou da distribuição de proventos da companhia emissora.

Compartilhe