Comentário diário

Ibovespa tem leve alta e dólar cai com mercado à espera de Trump e digerindo fala de Meirelles

Mercado segue na expectativa por Trump e reformas no Brasil

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa abriu com leves ganhos, mas ganhou forças durante a primeira hora do pregão e passou a subir mais forte após a abertura de Wall Street. O mercado segue em movimento de espera em dia de votação importante no Congresso dos EUA e preocupações domésticas quanto à reforma da Previdência e a situação das contas públicas.  Às 10h32 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava alta de 0,56%, a 63.887 pontos. O contrato de dólar futuro com vencimento em abril, por sua vez, registrava baixa de 0,44%, a R$ 3,134, enquanto o dólar comercial tinha queda mais amena, de 0,23%, a R$ 3,1304 na venda. 

O mercado digere a confirmação de alta de impostos feita pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em entrevista ao SBT na véspera (confira a entrevista clicando aqui). Além disso,  de acordo com o jornal O Globo, o governo pode mudar cálculo de precatórios para reduzir rombo fiscal, em medida proposta pela equipe da ex-presidente Dilma Rousseff. A ideia geral é que recursos destinados ao pagamento de precatórios que estejam parados nos bancos há mais de quatro anos não sejam contabilizados como despesas primárias e ajudem na realização da meta, diz jornal.

Chama atenção ainda notícias sobre novas mudanças na reforma da previdência. Segundo informa a Reuters, o governo faz as contas para mexer em pelo menos mais dois pontos da reforma da Previdência e facilitar a tramitação na Câmara dos Deputados: a contribuição para a aposentadoria rural e o sistema de transição entre o atual e o novo sistema, dois pontos em que os parlamentares mais insistem por mudanças. 

Além disso, a Guide destaca que, após retirar servidores estaduais e municipais da Reforma da Previdência, o Planalto pode recuar – ou voltar a inclui-los. Isso porque, sem o apoio dos governadores (que preferem colocar a reforma na ?conta? do governo federal), teme-se que as próximas votações no Congresso sejam mais duras para o Planalto. 

Nos EUA, atenção para o primeiro grande teste de Donald Trump com a expectativa pela votação da reforma da saúde, em meio a  preocupações que o governo poderia não ter apoio suficiente entre parlamentares para entregar também suas promessas na área econômica. Além disso, quatro dirigentes do Fed falam hoje, incluindo Charles Evans (9h); James Bullard (10h05); William Dudley (11h) e John Williams (14h30).

Destaques da Bolsa

As ações da Petrobras registram ganhos em um dia de noticiário corporativo agitado para a empresa. O dia é de leves ganhos para o petróleo, com o mercado na expectativa pela reunião da Opep que acontecerá no final de semana. A companhia ainda teve a recomendação elevada pelo SocGen. 

Por outro lado, o Estadão informa que o multibilionário fundo soberano dos Emirados Árabes, o Abu Dhabi Investment Authority (ADIA), entrou com um processo contra a Petrobras na corte Sudeste de Nova York pedindo indenização pela desvalorização de ações e bônus da companhia de petróleo em função dos casos de corrupção apurados nos últimos anos. O fundo engrossa a lista de grandes investidores que estão pedindo ressarcimento à empresa, alegando que ela mentiu e omitiu em seus balanços os verdadeiros resultados e receitas, contaminados pelos pagamentos de propinas que vieram à tona com a Operação Lava Jato. 

Enquanto isso, as ações da Vale oscilam entre leves ganhos e perdas nesta sessão em um dia de baixa para o minério de ferro. O contrato futuro do minério de ferro negociado em Dalian fechou em baixa de 0,51%, a 581 iuanes, enquanto o spot negociado em Qingdao teve baixa de 1,5%, a US$ 85,06 a tonelada. 

PUBLICIDADE

Destaque ainda para a intensa safra de balanços. Chama a atenção o desempenho de Cyrela, que registra baixa de cerca de 1% após encerrar o quarto trimestre de 2016 com lucro líquido de R$ 31 milhões, uma queda de 68,4% ante o mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, a companhia registrou lucro de R$ 151 milhões, com redução de 66,2%. 

Segundo o Credit Suisse, a Cyrela entregou um trimestre dentro do esperado em que a empresa conseguiu mostrar um fluxo de caixa livre recorrente positivo de R$ 120 milhões, depois de quatro trimestres de FCF negativo. Do lado negativo, o nível de margem bruta ficou abaixo da expectativa e as provisões um pouco acima do esperado. 

O destaque de queda fica para a JBS, em meio a um noticiário movimentado em decorrência das Operações Carne Fraca e Carne Fria. 

A JBS se tornou alvo de uma ação coletiva nos EUA por perdas com Carne Fraca, segundo informou a Bloomberg. Leonforte Holdings protocolou a ação em nome de outros investidores da companhia na quarta-feira (22), de acordo com documentos da corte federal da Filadélfia. Além disso, a JBS afirmou que vai contestar “paralisação absurda” de unidade no Pará em decorrência da Operação Carne Fria, deflagrada na quarta-feira. A companhia informou que não comprou gado de fazendas embargadas, cumprindo totalmente o objetivo de desmatamento zero, disse Marcio Nappo, diretor de sustentabilidade da JBS, em entrevista para a Bloomberg. 

 

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 CMIG4 CEMIG PN10,16+3,36+31,7812,74M
 CSAN3 COSAN ON37,86+2,85-0,762,37M
 BRKM5 BRASKEM PNA32,33+2,50-5,614,76M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON8,67+1,76+5,221,23M
 LAME4 LOJAS AMERICPN16,13+1,45-4,988,02M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 JBSS3 JBS ON10,71-1,11-6,056,88M
 CYRE3 CYRELA REALTON12,86-1,08+25,22732,52K
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N214,16-0,63-19,344,27M
 BVMF3 BMFBOVESPA ON18,59-0,59+12,6714,95M
 FIBR3 FIBRIA ON28,41-0,53-10,911,88M
* – Lote de mil a??es
1 – Em reais (K – Mil | M – Milh?o | B – Bilh?o)

PUBLICIDADE