Bolsa

Ibovespa tem 4ª queda em 5 pregões “ignorando” política e pressionado por bancos

Mercado brasileiro teve dia de extrema volatilidade com a agenda esvaziada, o volume fraco e o cenário político agitado

Painel de vendas de ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em queda nesta quinta-feira (5), pressionado pelas baixas de Vale e bancos, e também pela Petrobras, que virou para queda após subir durante boa parte da manhã. Lá fora, as bolsas terminaram entre perdas e ganhos com a agenda esvaziada e a alta do petróleo aparecendo como destaque. Já no cenário doméstico, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi afastado pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki. Os investidores ainda ficam de olho na ata da última decisão do Copom (Comitê de Política Monetária), que disse não haver espaço para flexibilização monetária no momento atual. 

O benchmark da bolsa brasileira fechou em queda de 1,68%, a 51.671 pontos. Foi a quarta queda da Bolsa em cinco pregões. O volume financeiro negociado foi de R$ 5,785 bilhões. Já o dólar comercial teve leve queda de 0,01% a R$ 3,5393 na compra e a R$ 3,5398 na venda, enquanto o dólar futuro para junho acabou o pregão com perdas de 0,15% a R$ 3,569, em mais um dia sem leilão de swap reverso do Banco Central. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 sobe 1 ponto-base a 13,68%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 recua 1 ponto-base a 12,53%. 

Segundo o analista da Appia, Luiz Felipe Mello, o impeachment já está consolidado no mercado e pouco impacto tem na Bolsa a queda de Eduardo Cunha. “O papel que ele deveria ter exercido lá atrás ele já exerceu. O mercado agora quer saber quem é essa nova equipe econômica de um eventual governo Temer”, afirma. Para Mello, a Bolsa fica então, em compasso de espera na política, repercutindo mais a performance das bolsas internacionais, que operam sem direção, com a agenda de eventos esvaziada. 

A opinião é a mesma do analista Ricardo Kim, da XP Investimentos. De acordo com ele, não há efeito do cenário político hoje. “O investidor até olha, mas o que mexe no mercado é o impacto das bolsas lá fora, que abriram em alta e zeraram ganhos”, afirma. Para ele, a diferença é que a amplitude do movimento do Ibovespa foi bem maior. “O petróleo trouxe aversão ao risco”, completa, lembrando de como a commodity amenizou sua alta desde o início da sessão desta quinta. 

Já o trader da Daycoval Investimentos, Daniel Ximenes Almeida, diz que a Bolsa virou fortemente para queda hoje pela continuidade do movimento de realização frente aos ganhos do mercado em março e no começo de abril. Contribui para isso, segundo ele, o baixo volume negociado na Bovespa hoje, que facilita a volatilidade, já que qualquer oferta mais relevante pode derrubar ou fazer subir muito o preço de uma ação. 

Sobre os juros futuros, Luiz Felipe Mello, da Appia, acredita que a curva tende a fechar (ficar mais achatada, ou seja, com uma diferença maior entre o yield de contratos com vencimento longo e aqueles de vencimento mais curto) ainda mais diante da melhora da percepção da economia brasileira. Ele cita como exemplo dessa melhora os últimos dados de inflação, que mostraram uma expressiva desaceleração no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). 

Cunha é afastado da Câmara
Através de decisão liminar, o ministro do STF, Teori Zavascki, determinou nesta quinta-feira (5) o afastamento do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato de deputado federal. O ministro atendeu a um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Zavascki apontou 11 situações que comprovariam uso do cargo pelo deputado para “constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações”. “Ante o exposto, defiro a medida requerida, determinando a suspensão, pelo requerido, Eduardo Cosentino da Cunha, do exercício do mandato de deputado federal e, por consequência, da função de Presidente da Câmara dos Deputados”, diz trecho da decisão de Teori. Cunha será substituído por outro alvo da Lava Jato, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA). 

Ata do Copom
Em ata da reunião realizada na quarta-feira passada, o Copom, disse que o cenário atual não permite que se trabalhe com a hipótese de flexibilização monetária. Ou seja, o corte de juros tão aguardado pelo mercado não deve ocorrer tão cedo. Ainda segundo o documento, o balanço do setor público se encontra em zona expansionista, o que pressiona a inflação. “Apesar dos avanços no combate à inflação, há incertezas associadas ao balanço de riscos com fiscal”, diz a ata. 

“Acredito que a comunicação sugere que possível início de uma distensão da política monetária seria mais próximo do fim do ano. Mas lembrando que até la teremos possivelmente uma troca no time do BC, o que dificulta o trabalho de se antecipar a data precisa de um possível corte”, disse Daniel Cunha, estrategista-macro da XP Securities em Nova York. 

PUBLICIDADE

Em sua última reunião, o comitê decidiu manter a taxa básica de juros da economia brasileira em 14,25% ao ano.

Ações em destaque
Dentro do setor mais pesado no Ibovespa, o financeiro, bancos grandes tiveram quedas. Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 30,39, -1,49%), Bradesco (BBDC3, R$ 27,26, -2,40%; BBDC4, R$ 25,25, -2,51%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 20,52, -1,72%) recuaram. Juntas, as quatro ações respondem por pouco mais de 20% da participação na carteira teórica do nosso benchmark.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 ESTC3 ESTACIO PARTON ED11,13-6,55-17,60
 CSNA3 SID NACIONALON11,08-5,86+177,00
 KROT3 KROTON ON11,76-5,01+23,90
 GGBR4 GERDAU PN7,01-4,63+50,75
 VALE3 VALE ON16,69-4,08+28,09

 

 

Já a Vale (VALE3, R$ 16,67, -4,20%; VALE5, R$ 13,27, -4,05%) teve forte baixa apesar da alta do minério de ferro. A commodity spot com 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao teve alta de 0,27% a US$ 60,25.

No radar da Vale, o Ministério Público de Minas Gerais disse nesta tarde que a Samarco – joint venture entre Vale e BHP Billiton – ocultou dois deslizamentos em janeiro de 2016, além de ter dificultado investigações e omitido informações relevantes para a investigação. O MPMG ajuizou ação contra 14 executivos da empresa no dia 10 de março, com pedidos de afastamento dos denunciados e retenção de passaportes. O MP alega que integrantes se associaram para blindar imagem da empresa ao omitir informações e cometer crimes ambientais por descumprir determinações de órgãos competentes. 

Nesta tarde, a Justiça Federal homologou um acordo fechado entre Samarco, Vale e BHP com a União e o Estado de Minas Gerais e Espírito Santo, que prevê reparações e compensações devido ao rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG), disse a Vale em nota. Segundo documento divulgado na época do acordo pela Samarco e suas controladoras, a Vale e a BHP, o pacto prevê aportes de até cerca de R$ 12 bilhões em reparações e compensações nos próximos anos. 

As ações da Petrobras (PETR3, R$ 12,59, -2,85%; PETR4, R$ 9,81, -1,11%), terminaram o dia em queda, descolando-se dos preços do petróleo. O barril do WTI (West Texas Intermediate) sobe 1,39% a US$ 44,40, ao mesmo tempo em que o barril do Brent tinha ganhos de 1,05% a US$ 45,09. 

PUBLICIDADE

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 SUZB5SUZANO PAPELPNA ED13,68+1,18-25,21
 NATU3NATURA ON24,40+1,04+4,98
 KLBN11KLABIN S/A UNT ED N217,43+0,69-25,19
 WEGE3WEG ON15,11+0,53+2,02
 BRFS3BRF SA ON46,90+0,47-14,98

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1
 PETR4PETROBRAS PN9,81-1,11641,40M
 VALE5VALE PNA13,27-4,05555,95M
 ITUB4ITAUUNIBANCOPN ED30,39-1,49320,80M
 BBDC4BRADESCO PN EJ25,25-2,51283,11M
 ABEV3AMBEV S/A ON19,14-2,35221,33M
 VALE3VALE ON16,69-4,08188,16M
 BBSE3BBSEGURIDADEON27,87-1,94180,11M
 BBAS3BRASIL ON20,52-1,72116,23M
 BVMF3BMFBOVESPA ON16,55-1,08114,21M
 CCRO3CCR SA ON16,06+0,44106,90M

* – Lote de mil ações 
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)
 

Comissão do Impeachment
Começou, na manhã desta quinta-feira, a última audiência da comissão especial que analisa o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff no Senado. Nela, o advogado-geral da União José Eduardo Cardozo faz a defesa contrária ao relatório apresentado na véspera senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), que pede o afastamento da atual mandatária. Logo no início de sua fala, o AGU criticou o não recebimento de alguns documentos relativos à acusação e pediu a suspensão temporária do processo de impeachment. Após a fala de Cardozo, os senadores membros da comissão discutem o relatório. No dia seguinte, ocorre a votação.

PMI da China 
A atividade do setor de serviços da China expandiu de novo em abril, embora com desaceleração em relação a março, mostrou nesta quinta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit. O PMI de serviços do Caixin/Markit para abril caiu a 51,8 de 52,2 em março, com aumento das novas encomendas no ritmo mais forte desde janeiro e com as expectativas das empresas inalteradas. Leituras acima de 50 indicam expansão da atividade. O subíndice de emprego avançou para 50,9 em abril sobre 48,9 em março, revertendo a primeira queda no número de funcionários desde agosto de 2013.