Comentário de Bolsa

Ibovespa segue volatilidade dos EUA e diminui perdas

Mercado digere os dados dos EUA, com criação de 209 mil postos de trabalho, abaixo do esperado pelo mercado, mas marcou melhor sequência desde 1997; Vale cai mais de 2%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa segue as bolsas norte-americanas e a sua volatilidade e, após chegar a cair quase 1% no início da tarde, volta a zerar as perdas nesta sexta-feira (1). Às 15h19 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa registra baixa de 0,06%, a 55.793 pontos. Na semana, contudo, o índice já acumula perdas de 3,7%. 

Cabe lembrar que o índice futuro registrava, no início da manhã, uma sessão de forte queda para o índice, que foi amenizado após os dados de emprego nos EUA, que vieram abaixo do esperado e indicaram que uma alta de juros no país estaria mais longe de acontecer.

Porém, apesar dos dados abaixo da expectativa, julho marcou o sexto mês consecutivo em que houve criação de mais de 200 mil vagas, uma sequência não vista desde 1997. O aumento da taxa de desemprego em 0,1 ponto percentual, para 6,2% foi causado pela entrada de mais pessoas no mercado de trabalho, um sinal de confiança no mercado de trabalho. Com isso, o mercado ficou apreensivo sobre os próximos sinais da autoridade monetária sobre o assunto. 

Um potencial impasse sobre o que o Fed deve decidir em suas próximas reuniões ficou claro com a fala de dois presidentes regionais da autoridade monetária. De acordo com o presidente do Fed da Filadélfia, Charles Plosser, o Fed está mantendo as taxas de juros em um nível adequado, mostrando discordância de outros membros da autoridade do Fed e da declaração presidente do Federal Reserve de Dallas, Richard Fisher, que disse nesta sexta-feira que é “muito possível” que o Fed comece a elevar as taxas de juros mais cedo no ano que vem, contanto que a economia norte-americana continue a melhorar como tem feito.

Com isso, as bolsas por lá seguem em leve queda, após intensificarem as perdas durante a tarde, movimento seguido pelo Ibovespa. 

Petrobras diminui as perdas
Em destaque entre as baixas na bolsa brasileira, estão os papéis da Petrobras (PETR3;PETR4), que diminuem as perdas, enquanto a Vale (VALE3;VALE5) segue em forte baixa de mais de 2%. As ações da mineradora registram baixa mesmo após o PMI (Índice Gerente de Compras) da indústria da China subiu para 51,7 em julho, ante 51 no mês anterior, superando as estimativas do mercado e alançando o maior patamar em 27 meses. O indicador reforçou evidências de que os esforços de estímulo de Pequim estão ganhando tração. O PMI publicado pelo HSBC/Markit também avançou para 51,7, melhor desempenho em 18 meses.

O noticiário corporativo brasileiro também é agitado, com a divulgação dos números do segundo trimestre da BRF (BRFS3), da TIM (TIMP3) e PDG (PDGR3). As ações da BRF e da TIM registram uma das maiores altas do Ibovespa, enquanto a PDG registra uma das maiores quedas do índice, com perdas superiores a 3%. 

O lucro da maior exportadora de carne de frango do mundo, avançou 28%  no segundo trimestre ante 2013, para R$ 267 milhões, com melhora operacional e foco na rentabilidade. A estimativa de analistas apontava lucro líquido de R$ 270,8 milhões no período. Já a TIM viu seu lucro cair 5,2% de abril a junho na comparação anual, para R$ 365,61 milhões. Por fim, a PDG ampliou o prejuízo no segundo trimestre para R$ 135,3 milhões, na comparação anual, em um período marcado por vendas e lançamentos menores, enquanto espera estar próxima ao início de seu período de desalavancagem.

Destaque ainda para a divulgação da primeira prévia da nova carteira teórica do Ibovespa. A ação da fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo (POMO4) foi incluída na primeira prévia do Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, enquanto o papel da Brookfield Incorporações (BISA3) ficou de fora. A prévia é a primeira indicação da BM&FBovespa sobre a nova carteira teórica do índice, que vai vigorar de setembro a dezembro de 2014.

PUBLICIDADE

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia
 PDGR3 PDG REALT ON1,40-3,45
 OIBR4 OI PN1,43-2,72
 VALE3 VALE ON31,80-2,30
 CRUZ3 SOUZA CRUZ ON20,60-2,18
 VALE5 VALE PNA28,53-2,06

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia
 JBSS3 JBS ON8,69+4,07
 TIMP3 TIM PART S/A ON12,42+3,33
 CPLE6 COPEL PNB36,35+3,27
 HGTX3 CIA HERING ON21,67+2,60
 BBSE3 BBSEGURIDADE ON33,95+2,57

PMIs e produção industrial
Na Europa, a leitura preliminar para o PMI Industrial mostrou que crescimento do setor diminuiu ligeiramente na zona do euro em relação ao mês anterior. O número final de julho do Markit ficou em 51,8, combinando a leitura de junho, mas abaixo de uma estimativa rápida antes de 51,9. Com isso, as bolsas europeias seguem a forte queda da véspera, com baixa de mais de 1%: o Dax, da Alemanha, tem baixa de cerca de 2%. Vale ressaltar que, ontem, o dia também foi bastante negativo em meio aos dados corporativos e com os dados de inflação no euro abaixo do esperado.

Já no Brasil, novas “más notícias” para a indústria nacional. A produção industrial brasileira recuou 1,4% em junho, marcando o quarto mês seguido de queda na pior série de perdas desde 2010, porém num resultado melhor do que o esperado.