Fechamento

Ibovespa renova máxima histórica pela 3ª vez seguida e dólar cai para R$ 4,03

Mercado sobe mais uma vez, revelando o otimismo com relação ao futuro da economia

Retomada Ibovespa
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em alta nesta quarta-feira (23), renovando pela terceira vez consecutiva a sua máxima histórica. O fator que impulsionou a Bolsa foi o encerramento da votação da Previdência, concluída após acordo para a votação de destaque apresentado pelo PT e que tinha gerado impasse na sessão da véspera. Agora, a nova Previdência está oficialmente aprovada no Congresso e só precisa ser promulgada para começar a valer.

Com isso, o principal índice da B3 registrou ganhos de 0,15%, a 107.543 pontos com volume financeiro negociado de R$ 16,888 bilhões.

A aprovação da reforma levou o dólar a fechar perto da mínima do dia, terminando o pregão com queda de 1,05% a R$ 4,0322 na compra e a R$ 4,0329 na venda. É o menor valor da moeda americana em dois meses. O dólar futuro com vencimento em novembro registra queda de 1,15%, a R$ 4,036.

Aprenda a investir na bolsa

O destaque do PT visava diminuir os prejuízos na aposentadoria de trabalhadores que exercem atividades com grau de periculosidade – pleito de parlamentares ligados a vigilantes e guardas noturnos.

Após o acordo costurado, o destaque foi aprovado por unanimidade, com o compromisso de que o tema que será regulamentado posteriormente por meio projeto de lei complementar apresentado pelo governo.

Ontem, o texto-base da reforma já havia sido aceito por 60 votos contra 19 em segundo turno no plenário do Senado. O secretário da Previdência, Rogério Marinho, afirma que a alteração feita no caso dos vigilantes não muda o impacto fiscal de R$ 800,3 bilhões economizados em dez anos.

Já os contratos de juros futuros registravam leve baixa. O DI para janeiro de 2021 cai dois pontos-base a 4,51% e o DI para janeiro de 2023 registra perdas de cinco pontos-base a 5,47%.

A reforma do governo Bolsonaro demorou 244 dias para ser aprovada pelo Congresso e só não foi mais rápida que a mudança proposta pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que levou 233 dias para ter o aval de deputados e senadores. Nos dois casos, as mudanças foram feitas por PEC.

Leia também:
• O que muda na sua aposentadoria com a reforma da Previdência

PUBLICIDADE

As informações são de que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), vai aguardar o retorno do presidente da República – que está em viagem à Ásia – para promulgar texto. Bolsonaro chega ao Brasil no próximo dia 31. A data da sessão solene conjunta do Congresso para promulgação da Reforma no entanto ainda não foi definida, mas deverá ocorrer no 12 ou 19 de novembro.

Noticiário Corporativo

A safra de resultados ganha tração a partir de hoje. Antes da abertura dos mercados, a Weg (WEGE3) divulgou um lucro líquido de R$ 418,2 milhões, 5% acima do esperado pelo consenso Bloomberg. Após o encerramento do pregão, CSN (CSNA3), Localiza (RENT3) e EDP Energias do Brasil (ENBR3) divulgam resultados.

Já a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e seus sindicatos informaram ontem à noite que enviaram comunicado à Petrobras (PETR3; PETR4) notificando sobre o início da greve dos petroleiros, a partir da zero hora do dia 26 de outubro.

“Diante da intransigência da Petrobras em negociar os pontos apresentados pela FUP para melhoria da proposta de Acordo Coletivo, encaminhados à empresa e ao TST no dia 26/09, não resta outra alternativa aos petroleiros se não o exercício do direito legítimo de greve”, informou em nota no site.

Leia também:
• Temporada de resultados do 3º trimestre: confira as ações e os setores para ficar de olho

Bolsas internacionais

No exterior, os mercados fecharam de forma mista pressionados diante da continuidade do imbróglio sobre a saída do Reino Unido da União Europeia e pelo setor de tecnologia em Wall Street.

Os principais índices europeus estão em compasso de espera pela confirmação da ampliação do prazo para o Brexit, inicialmente dia 31 de outubro. A decisão está nas mãos da UE, que tende a conceder um novo adiamento, segundo já sinalizou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Enquanto isso, o primeiro-ministro, Boris Johnson, já articula a convocação de novas eleições gerais para consolidar seu mandato, aproveitando que o Partido Conservador lidera as pesquisas eleitorais. Segundo relatos da imprensa britânica, citados pela CNBC, a possível votação já teria até data: 5 ou 12 de dezembro. Casas de apostas já apontam, inclusive, uma chance acima de 50% de que ocorram eleições gerais no Reino Unido ainda este ano.

PUBLICIDADE

Nos Estados Unidos, os investidores monitoram o setor de tecnologia, que reage negativamente aos impactos da guerra comercial em seus negócios, especialmente a indústria de microchips.

Sem uma agenda relevante de indicadores e com os integrantes do Federal Reserve em período de silêncio, as atenções se voltam à publicação dos balanços da Boeing, Caterpillar e Eli Lilly, antes da abertura, da Ford, Microsoft e Tesla, após o fechamento dos mercados.

Entre as commodities, os preços futuros do minério de ferro em Dalian fecharam em nova alta, acompanhando o movimento da véspera de valorização, após a Vale anunciar redução da oferta da commodity com a paralisação das atividades no Complexo de Itabira (MG).

Já o petróleo opera em queda diante do aumento acima do esperado dos estoques nos EUA. No entanto, o mercado segue atento às movimentações da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus aliados, que podem lançar mão de cortes na produção global.

(Com Agência Estado, Agência Brasil, Agência Senado, Agência STF e Bloomberg)

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos