Bolsa

Ibovespa engata alta em dia de forte volatilidade por conta do vencimento do índice futuro

Mercado azeda depois dos contratos futuros do benchmark ensaiarem um dia de ganhos na abertura

Gráfico de ações (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa engata alta nesta quarta-feira (16), dia de forte volatilidade no índice, que chegou a cair a 103.521 pontos na mínima do pregão. Operadores explicam que a batalha entre comprados e vendidos no Ibovespa Futuro, que tem vencimento hoje do contrato para outubro, leva a esses fortes sinais ganhos e perdas durante a sessão.

Puxando o movimento positivo da tarde estão os papéis de Petrobras (+1,05%) e bancos. Itaú sobe 1,4%, Bradesco tem alta de 1,81% e Banco do Brasil avança 0,9%. Essas blue chips ofuscam a queda da Vale, que recua 1,9% em meio à baixa do minério. A petroleira segue o desempenho do petróleo no mercado internacional, que sobe mais de 1% em meio a expectativas de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) irá estender os cortes na oferta.

No radar macro, os investidores acompanham notícias conflitantes como a fala do presidente americano, Donald Trump, de que a China já começou a comprar produtos agrícolas de fazendeiros dos EUA, e a ameça dos chineses de retaliar caso o Congresso americano aprove lei que favorece os manifestantes de Hong Kong.

PUBLICIDADE

Já no ambiente doméstico, aumentam os riscos políticos por conta da piora no racha entre o presidente Jair Bolsonaro e o PSL, que torna insustentável a permanência do chefe do Executivo na sigla.

O tensionamento das relações de Bolsonaro com o PSL já começam a ter consequências práticas no Congresso. Ontem, o delegado Waldir (GO), que é o líder do PSL na Câmara, chegou a convocar uma obstrução contra a Medida Provisória da reforma administrativa, mas acabou derrotado.

Apesar disso, os investidores ainda comemoram a aprovação unânime da cessão onerosa na véspera, o que deixa o caminho livre para a votação da reforma da Previdência no dia 22. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), garantiu nesta quarta que há entendimento para a votação da Previdência na data prevista.

Às 15h40 (horário de Brasília) o principal índice da B3 registrava alta de 0,68% a 105.201 pontos.

Já o dólar comercial tem leve queda de 0,11% a R$ 4,1601 na compra e a R$ 4,1608 na venda. O dólar futuro para novembro registra perdas de 0,48% a R$ 4,1655.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 cai nove pontos-base a 4,53% e o DI para janeiro de 2023 tem queda de 11 pontos-base a 5,53%.

PUBLICIDADE

Lá fora, as vendas do varejo nos Estados Unidos caíram 0,3% em setembro na comparação mensal, bem abaixo da expectativa mediana apontada pelo consenso Bloomberg, que era de expansão de 0,3%. No mês anterior, as vandas do varejo no país haviam aumentado em 0,4%.

Os investidores também monitoram o desenvolvimento das conversas entre o Reino Unido e União Europeia para o fechamento de um acordo para o Brexit.

Destaque ainda para a cotação do minério de ferro, que está desabando na China. A tonelada do minério à vista com 62% de pureza no porto de Qingdao cai 5,53% a US$ 87,86.

Noticiário corporativo

A Petrobras (PETR3; PETR4) anunciou nesta terça-feira (15) a assinatura de cartas de intenção com duas empresas asiáticas para o afretamento de duas plataformas do tipo Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência (do inglês FPSO). As unidades vão integrar o projeto de desenvolvimento da produção da revitalização dos campos de Marlim e Voador (módulos 1 e 2), que ficam na Bacia de Campos.

Segundo a Petrobras, a previsão para o início da produção é a partir de 2022. Juntos, os dois projetos poderão processar até 150 mil barris de petróleo por dia e 11 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

Já a MRV (MRVE3) teve alta de 18,8% nas vendas líquidas do terceiro trimestre. A companhia teve vendas de R$ 1,395 bilhão de julho ao fim de setembro, enquanto os distratos recuaram para R$ 95 milhões, ante R$ 279 milhões no terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o período de abril a junho deste ano, os distratos caíram 22%.

A Yduqs (YDUQ3), ex-Estácio, prestou esclarecimento sobre notícia de que estaria em fase final de negociação para compra da dona da Ibmec. “Até o momento, nenhuma decisão foi tomada a respeito de uma possível transação”, disse a empresa. A companhia afirmou que um de seus pilares estratégicos é crescer via aquisições e, por isso, está em tratativas com diversos grupos educacionais, dentre eles o grupo Adtalem, sobre seus ativos no Brasil.

A CCR (CCRO3) anunciou o pagamento de R$ 940 milhões em dividendos. O valor corresponde a R$ 0,46534653466 por ação ordinária e o pagamento será feito a partir de 31 de outubro.
Em nota, a empresa informou que terão direito ao provento os investidores com ações CCRO3 no dia 18 de outubro, ou seja, os papéis passam a operar “ex-dividendos” a partir de 21 de outubro.

Brexit

As negociações para o Brexit atingiram um obstáculo no último dia de conversas entre o Reino Unido e a União Europeia antes de uma cúpula crucial no final desta semana.

A intenção do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, é tentar fechar a negociação com o bloco antes da reunião de líderes europeus prevista para o final desta semana. A imprensa britânica chegou a reportar que as duas partes estariam chegando a um consenso e que um projeto de acordo poderia ser publicado hoje se os detalhes forem finalizados.

No entanto, segundo a CNBC, diplomatas da UE não identificados paralisaram as negociações no ponto de um acordo comercial e nas cláusulas de concorrência justa. Além disso, houve um acirramento da oposição ao acordo proposto pelo Partido Sindicalista Democrático (DUP) da Irlanda do Norte.

O primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, também confirmou que ainda existem questões pendentes, particularmente em torno da Irlanda do Norte, que “ainda precisam ser resolvidas” e que as conversas podem levar mais tempo.

Invista contando com a melhor assessoria do mercado: abra uma conta gratuita na XP.