Comentário diário

Ibovespa ganha forças após dados de petróleo nos EUA e à espera de anúncio do governo; dólar cai

No exterior, mercado fica atento ao início formal do Brexit e para os próximos passos de Trump

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após uma abertura fraca, o Ibovespa se animou após a abertura de Wall Street e ganhou ainda mais forças após os dados de estoques de petróleo nos EUA, que ficaram abaixo do esperado pelo mercado. Às 12h03 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 0,98%, a 65.275 pontos, enquanto o contrato de dólar futuro com vencimento em abril registra queda de 0,81%, a R$ 3,118. 

A Petrobras avança mais de 2% após os dados de estoque de petróleo nos EUA, que tiveram alta de 867 mil barris na semana encerrada em 24 de março, ante expectativa de 1 milhão de barris do Wall Street Journal, levando o brent a subir 1,42% e o WTI a ter alta de 1,65%. O mercado ainda aguarda pelo anúncio do governo das medidas para cobrir o rombo de R$ 58,2 bilhões, a ser anunciada no final do dia.  

Segundo o jornal Valor Econômico, para cobrir o rombo, haverá compensação em torno de R$ 8,6 bilhões de precatórios não sacados; mais entre R$ 8,5 bilhões e R$ 10 bilhões em dinheiro novo da devolução de três hidrelétricas da Cemig para a União e entre R$ 5 bilhões a R$ 8 bilhões a título de reoneração da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento das empresas, além do fim da isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para cooperativas de crédito, o que deve agregar mais R$ 1 bilhão à conta. Nesta manhã, o ministério da Fazenda divulgou nota sobre despesas contingenciáveis no Orçamento de 2017 para cobrir o rombo de R$ 58,2 bilhões, que será anunciado hoje no final do dia, com algumas “dicas” sobre o anúncio que estão no radar. De acordo com a nota, o cumprimento da meta exigirá medidas de aumento da receita, apontando que o contingenciamento muito grande não será possível. (veja mais clicando aqui)

O dia é de leve queda para o mercado de juros futuros, após abrir em uma baixa mais forte por volta das 9h repercutindo a fala do presidente do BC, Ilan Goldfajn ao Nikkei, em que ele confirmou cortes mais intensos na Selic derruba os juros por aqui. Contudo, o movimento se enfraqueceu após o BC esclarecer  que a entrevista dada pelo presidente Ilan Goldfajn ao jornal Nikkei, do Japão, foi concedida no dia 6 de março. “O conteúdo da fala do presidente se referia à flexibilidade aberta pelas Notas do Copom, publicadas em 2 de março”, diz a nota.

Os contratos de juros futuros com vencimento em janeiro de 2018 recuavam 2 pontos-base, a 9,84%, mesma retração dos DIs com vencimento em janeiro de 2021, que operavam a 9,93%. Contudo, vale destacar os dados de serviços do IBGE referentes a janeiro. Os dados divulgados apontaram queda de 7,3%, pior do que o mercado esperava, de 4,5%. Esse dado, segundo a XP Investimentos, reforça a percepção de corte de 1 ponto percentual da Selic na próxima reunião, do dia 12 de abril. Já os contratos de dólar futuro com vencimento em abril deste ano caíam 0,32%, sinalizando cotação de R$ 3,133. 

O exterior está focado no início formal do “Brexit” e nos primeiros passos de Donald Trump após a derrota no Congresso na semana passada.   A União Europeia (UE) recebeu hoje (29), às 13h20 hora local (8h20 em Brasília), a carta de Londres que inicia o processo de desligamento do Reino Unido do bloco europeu, anunciou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, em sua conta no Twitter. 

“Após nove meses, o Reino Unido entregou”, disse Tusk, que postou uma fotografia na qual é visto junto ao embaixador britânico perante a UE, Tim Barrow, quando este entregou a carta. Tusk acompanha a imagem com a frase “a carta do artigo 50”, em referência ao artigo do Tratado de Lisboa que estabelece as negociações sobre a saída de um país da comunidade.

No  mercado de commodities, o minério de ferro em Dalian sobe 3,44%, a 571 iuanes, após bater no menor nível em 11 semanas acompanhando alta do aço, o que impulsiona a alta de cerca de 1% das ações da Vale. 

Destaques da Bolsa

PUBLICIDADE

Na  Bovespa, o destaque de ganhos fica com MRV, com alta superior a 3%, enquanto a Gerdau tem ganhos. No radar da siderúrgica, ela assinou contrato de joint venture com Putney Capital Management a partir da venda de 50% de sua participação na Gerdau Diaco. O Banco do Brasil também sobe cerca de 3% após ter a recomendação elevada de venda para neutra pelo UBS. 

Entre as maiores quedas, chama a atenção a Cemig, que cai após nova derrota na Justiça. No radar, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell revogou uma liminar concedida no início do mês que autorizava a elétrica mineira Cemig a seguir como operadora da hidrelétrica de São Simão nos termos originais do contrato de concessão da usina, que venceu em 2015.

De acordo com a assessoria de imprensa do STJ, a decisão permite que a concessão da hidrelétrica seja retomada pela União, que pretende relicitar o empreendimento para arrecadar recursos para o Tesouro por meio da cobrança de bônus de outorga na licitação.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

 

C?d.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 MRVE3 MRV ON14,93+3,32+39,817,55M
 BBAS3 BRASIL ON34,06+2,90+21,60113,97M
 SMLE3 SMILES ON ED62,15+2,85+49,0915,62M
 USIM5 USIMINAS PNA4,46+2,77+8,7822,94M
 BRML3 BR MALLS PARON14,54+2,61+21,6712,79M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 SANB11 SANTANDER BRUNT27,79-1,98-1,8434,87M
 EMBR3 EMBRAER ON EJ17,46-1,63+9,369,56M
 CMIG4 CEMIG PN10,25-1,16+32,9433,58M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON8,80-1,12+6,808,86M
 RADL3 RAIADROGASILON EJ59,18-1,04-3,0219,47M
* – Lote de mil a??es
1 – Em reais (K – Mil | M – Milh?o | B – Bilh?o)