Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Ibovespa Futuro tem leve queda após IPCA acima do previsto e antes de dados de inflação nos EUA

Investidores também se preparam o início da temporada de resultados do quarto trimestre nos EUA

Felipe Moreira

B3 Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O Ibovespa Futuro opera com baixa nesta quinta-feira (11), à medida que investidores digerem o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de dezembro acima do previsto, enquanto aguardam dados de inflação nos Estados Unidos.

O indicador de inflação oficial do País subiu 0,56% em dezembro, o que significou uma aceleração em relação aos 0,28% de novembro, informou nesta quinta-feira (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso a inflação acumulada em 2023 foi de 4,62%, ante 5,79% em 2022. O consenso LSEG apontava para alta de 0,48% na comparação com novembro e de 4,54% na base anual.

Em Brasília, o presidente Lula deve anunciar deve anunciar o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski como novo ministro da Justiça. Lula tem uma reunião com Lewandowski e Dino prevista para as 11h.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Às 9h16, (horário de Brasília) o índice futuro com vencimento em fevereiro operava com baixa de 0,14%, aos 131.710 pontos.

Em Wall Street, índices futuros operavam com mistos, enquanto Wall Street se prepara para os últimos dados de inflação ao consumidor e o início da temporada de resultados do quarto trimestre. O consenso LSEG aponta para alta mensal de 0,2% e de 3,2% na base anual.

Nesta manhã, o Dow Jones Futuro caía 0,03%, S&P Futuro avançava 0,09% e Nasdaq Futuro registrava alta de 0,33%.

Dólar e mercado externo

O dólar comercial operava com baixa de 0,14%, cotado a R$ 4,884 na compra e R$ 4,884 na venda. Já o dólar futuro (DOLFUT) recuava 0,19%, indo aos 4.896 pontos. Enquanto isso, DXY, índice que mede a força do dólar perante à uma cesta de moedas, opera com queda de 0,10%, a 102,26 pontos.

No mercado de juros, os contratos operavam em alta após inflação acelerar no mês de dezembro. O DIF25 subia 0,04 pp, a 10,18; DIF26 +0,06 pp, a 9,84; DIF27, +0,06 pp, a 9,94%; DIF28, +0,04 pp, a 10,14%; DIF29 +0,04 pp, a 10,28%.

As bolsas europeias operam no campo positivo na sessão de hoje, após vários dias de negociações em território misto. Já os mercados asiáticos fecharam majoritariamente em alta, após um dia positivo em Wall Street e em meio a esperanças renovadas de mais estímulos monetários na China.

Os preços do petróleo sobem à medida que os mercados avaliam as tensões crescentes no Oriente Médio face a um aumento surpreendente nos estoques de petróleo bruto dos EUA.

Depois de caírem por cinco pregões consecutivos, os preços futuros do minério de ferro subiram, impulsionadas pelo mais recente apoio ao mercado imobiliário e pelas renovadas esperanças de flexibilização monetária no principal consumidor, a China. O minério de ferro de referência de fevereiro, SZZFG4, na Bolsa de Cingapura subiu quase 1%, para US$ 134,1 a tonelada, eliminando as perdas anteriores.