Bolsa

Ibovespa Futuro sobe quase 2% seguindo ADRs e otimismo por Grécia e China

Cenário externo ofusca mais uma derrota do governo no Congresso e faz índice indicar um pregão positivo nesta sexta; dólar registra fortes perdas

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro abre em alta nesta sexta-feira (10) seguindo o desempenho dos ADRs (American Depositary Receipts) das principais empresas brasileiras durante o feriado. A disparada de 4,55% da bolsa de Xangai depois de intervenções do governo para frear o processo de forte queda dos últimos tempos é motivo de otimismo nos mercados globais, assim como as especulações de que a Grécia pode conseguir um resgate até domingo. Hoje o euro sobe depois do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, apresentar um pacote muito semelhante ao que foi oferecido pelos credores em 26 de junho. 

Às 9h08 (horário de Brasília), o contrato futuro do índice para agosto subia 1,79%, a 53.110 pontos. Já o dólar futuro também para agosto recua 1,49%, a R$ 3,212. 

No cenário doméstico, o mais importante fato da quinta foi a aprovação também no Senado da regra que estende o reajuste do salário mínimo a todas as aposentadorias até 2019. A medida deve ser vetada pela presidente Dilma Rousseff (PT), já que deve gerar R$ 9,2 bilhões em gastos extras por ano para a Previdência. 

Aprenda a investir na bolsa

Outra notícia importante, mas que não traz tanto impacto hoje é a redução da projeção de crescimento global em 2015 pelo FMI (Fundo Monetário Internacional). Para o Brasil, em particular, o FMI ajustou sua estimativa para o recuo na economia a 1,5% em 2015, ante 1,0% antes. Para o ano que vem, a entidade também passou a ver um crescimento mais modesto para o país, de 0,7% contra projeção anterior de 1,0%.

Na agenda, os investidores devem ainda ficar de olho em entrevista coletiva de Dilma marcada para 12h40 em Roma e discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, às 13h30. 

ADRs sobem
Com o feriado em São Paulo, a Bovespa ficou fechada na quinta-feira (9), mas em Nova York, os ADRs das empresas brasileiras registraram fortes ganhos, acompanhando o desempenho das principais bolsas pelo mundo. O índice ADR Brazil Titans, que reúne os 20 papéis brasileiros mais negociados nos Estados Unidos, registrou valorização de 0,86%, a 16.888 pontos. Dentre estas ações, o destaque ficou com a Oi (OIBR4), que ganhou força durante o dia e fechou com forte alta de 4,97%, cotada a US$ 1,69.

Entre as blue chips, a Vale (VALE3VALE5) registrou ganhos de 1,88%, a US$ 5,42, após chegarem a disparar 8% logo na abertura dos negócios. O minério de ferro com teor de 62% de ferro negociada no porto de Tianjin, na China, subiram 9,5% nesta sessão e terminaram em US$ 48,30 por tonelada, após recuo de 21% até então na semana. Enquanto isso, os papéis PBR, relativos às ações ordinárias da Petrobras (PETR3PETR4), tiveram alta de 2,99%, a US$ 8,28, após ganhos máximos de 5% nos primeiros minutos de negócio. Já os recibos PBR-A subiram 2,37%, para US$ 7,34.

Xangai e Grécia no radar
O índice Xangai Composto teve maior ganho em 2 dias desde 2008, após intervenções sem precedentes do governo chinês depois da queda de 30% do mercado nas últimas três semanas. Após subir 5,76% na quinta-feira, Xangai registrou ganhos de 4,57% nesta sexta-feira. Vale ressaltar ainda que o minério de ferro, após subir quase 10% ontem, registra alta de 2,26% hoje, a US$ 50,11 a tonelada.

O governo chinês anunciou medidas como proibição à venda de ações por controladores e executivos de companhias listadas por seis meses, ordem para companhias comprarem ações e investigação de operações vendidas. Já Hang Seng registrou ganhos de 2,08%, enquanto Nikkei teve leve baixa de 0,38%.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, o dia também é de alta para as bolsas europeias, com a expectativa de que um acordo dos credores com a Grécia pode ser fechado. O índice alemão DAX sobe mais de 2%, enquanto o índice francês CAC 40 sobe mais de 3% e o FTSE tem ganhos de mais de 1%. 

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, afirmou nesta sexta-feira que uma “grande decisão” pode ser tomada pelo grupo quando se reunir para uma sessão emergencial no sábado depois que a Grécia entregou uma nova proposta para financiamento emergencial.

O endosso parlamentar dos compromissos imediatos das reformas que a Grécia está oferecendo aos credores europeus permitiria ao país avançar na corrida para obter um novo empréstimo, evitar a falência do Estado e uma possível saída da zona do euro. “As novas propostas da Grécia foram recebidas pelo presidente do Eurogrupo Dijsselbloem”, tuitou o porta-voz do ministro. “Importante para as instituições considerarem isto em suas análises.”

De acordo com o ex-presidente do BCE (Banco Central Europeu) Jean-Claude Trichet, as negociações devem ser vistas com cautela, mas a Grécia mostrou um desejo real por um acordo. 

O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura.