Abertura

Ibovespa Futuro sobe em meio a otimismo com vacina e reabertura econômica no exterior; dólar cai a R$ 5,38

Pré-market estende os ganhos do rali pós-divulgação de vídeo de reunião de Bolsonaro com ministros

ações bolsa gráfico índices mercado compra venda sell buy
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro abre em alta nesta terça-feira (26) seguindo o forte desempenho dos índices futuros dos Estados Unidos, que avançam entre 1,6% e 2,2%. O principal driver da sessão é o otimismo dos investidores com o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus e também com as medidas de flexibilização do isolamento social em países desenvolvidos.

Na segunda-feira à noite, a empresa americana de biotecnologia Novavax anunciou que iniciou o primeiro estudo em humanos de uma vacina experimental. Essa iniciativa se soma a outras que estão em curso. O coronavírus já contagiou 5,6 milhões de pessoas e causou 348 mil óbitos.

Às 09h12 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa para junho subia 0,81% a 86.760 pontos.

Aprenda a investir na bolsa

Já o dólar comercial tinha baixa de 1,38%, a R$ 5,3812 na compra e R$ 5,3827 na venda. O dólar futuro para junho tinha queda de 1,07% a R$ 5,387.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 fica estável a 3,17%, o DI para janeiro de 2023 cai dois pontos-base a 4,25% e o DI para janeiro de 2025 recua quatro pontos-base a 6,02%.

Entre os indicadores, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) teve queda de 0,59% de maio na comparação mensal, após ter registrado leve baixa de 0,01%, em abril, informou nesta terça-feira (26) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A expectativa era de que a inflação medida pelo IPCA-15 tivesse queda de 0,48% em maio na comparação mensal, segundo estimativa mediana em pesquisa Bloomberg.

O otimismo do dia do lado internacional não retira do radar os investidores a situação de tensão entre Washington e Pequim, após a China propor uma nova lei de segurança nacional em Hong Kong.

O país asiático condenou os EUA por adicionar 33 entidades chinesas a uma lista negra de comércio, mas sem anunciar nenhuma medida de retaliação; enquanto isso, Pequim tentou tranquilizar Hong Kong ao indicar que seu judiciário permaneceria independente mesmo sob uma nova lei de segurança nacional.

Concessões

PUBLICIDADE

O ministro da Infraestrutura, Tarcisio Freitas, acredita no sucesso dos leilões de concessão dos aeroportos brasileiros mesmo com a pandemia do coronavírus. A expectativa é fazer o leilão de 22 aeroportos em março do ano que vem e de outros 21 em 2022.

Em transmissão pela internet promovida pelo Santander Brasil, na segunda-feira, o ministro ainda sinalizou as esferas decisórias no âmbito federal estão unidas para que o programa de desestatização avance.

Já a expectativa para o leilão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia, é que ocorra no final do ano.

Noticiário corporativo

A companhia aérea Latam pediu recuperação judicial no Brasil, Chile e Estados Unidos. Ao pedir proteção em território americano (Chapter 11, a lei de falências dos EUA), a companhia teria mais chances de negociar contratos de arrendamento de aeronaves.

A empresa, que não tem capital aberto no Brasil, está com dificuldade em acessar os recursos do socorro ofertado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do qual Gol e Azul devem participar.

Dentro da temporada de balanços, O Magazine Luiza registrou um lucro líquido de R$ 30,8 milhões no primeiro trimestre do ano, uma queda de 76,7% na comparação com igual período de 2019. As receitas líquidas totalizaram R$ 5,234 bilhões alta de 20,9%.

Apesar da queda do lucro, a empresa mostrou avanço no comércio eletrônico. O e-commerce passou de 41,4% do total das vendas no primeiro trimestre de 2019 para 53,3% nos primeiro três meses de 2020.

Como ler o mercado financeiro e aproveitar as oportunidades: conheça o curso A Grande Tacada, do Fernando Góes – de graça nos próximos dias!

PUBLICIDADE