Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Ibovespa Futuro sobe com repercussão da ata do Copom e à espera de Campos Neto e Haddad

Campos Neto, presidente do BC, e Fernando Haddad, ministro da Fazenda, proferem palestra em evento do BTG

Felipe Moreira

B3 Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O Ibovespa Futuro opera com alta nesta terça-feira (6), com investidores repercutindo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que realizou corte de 50 pontos base na taxa Selic na semana passada. A minuta sinalizou que o comitê vê sinais de atenuação da desaceleração da atividade no país.

Já Roberto Campos Neto, presidente do BC, e Fernando Haddad, ministro da Fazenda, participam de evento em São Paulo. Na frente corporativa, depois de Itaú e Cielo reportarem resultados na véspera é a vez da Tim (TIMS3) divulgar seus números do quarto trimestre após o fechamento. No caso da Cielo, destaque ainda para a notícia de que o Bradesco e o Banco do Brasil, bancos controladores da companhia, lançarão uma oferta para fechar o capital da empresa listada na B3 desde 2009. 

Às 9h12 (horário de Brasília), o índice futuro com vencimento em fevereiro operava com alta de 0,12%, aos 127.960 pontos.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em Wall Street, índices futuros dos EUA operam com baixa após uma liquidação estimulada por uma alta nos rendimentos dos títulos e preocupações de que o Federal Reserve (Fed) possa não cortar as taxas no ritmo esperado por Wall Street.

Nesta manhã, o Dow Jones Futuro recuava 0,15%, S&P Futuro caía 0,10% e Nasdaq Futuro registrava desvalorização de 0,05%.

Dólar e mercado externo

O dólar comercial opera com baixa de 0,11%, cotado a R$ 4,975 na compra e R$ 4,977 na venda. Já o dólar futuro (DOLFUT) caía 0,25%, indo aos 4,984 pontos. Enquanto isso, DXY, índice que mede a força do dólar perante à uma cesta de moedas, opera com baixa de 0,03%, a 104,42 pontos.

No mercado de juros, os contratos futuros sobem em bloco nesta manhã. O DIF25 avançava 0,01 pp, a 9,98%; DIF26, +0,02 pp, a 9,73%; a DIF27, +0,02 pp, a 9,89%; DIF28, +0,02 pp, a 10,14%; DIF29 +0,01 pp, a 10,31%.

Os preços do petróleo operam com leve baixa, enquanto agentes do mercado avaliam uma visita ao Oriente Médio do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, para discutir uma oferta de cessar-fogo na região. Já as cotações do minério de ferro na China fecharam em baixa.

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, com as chinesas se recuperando de forma vigorosa após sinais de apoio oficial e outras caindo na esteira das perdas em Wall Street ontem. Na China continental, os mercados exibiram robustos ganhos, depois de caírem por seis pregões seguidos em meio a preocupações sobre a saúde da segunda maior economia do mundo. Em comunicado, o regulador de mercado chinês encorajou empresas a conduzir recompras de ações, declarar dividendos e a tomar outras iniciativas para impulsionar seu valor.

Os mercados europeus operam em alta, uma vez que a confiança dos investidores permanece robusta, apesar das perspectivas pouco claras para cortes nas taxas de juro. As bolsas da região fecharam ligeiramente em baixa na segunda-feira, com os investidores digerindo os últimos comentários do presidente do Federal Reserve dos EUA, Jerome Powell, nos quais ele disse que o BC provavelmente agiria em um ritmo consideravelmente mais lento nos cortes nas taxas do que o mercado espera.