Pré-mercado

Ibovespa futuro opera entre altas e baixas e dólar ensaia nova recuperação; investidores monitoram próximos passos do Fed

Juros futuros operam em baixa e preços do petróleo se recuperam

Por  Mitchel Diniz

O Ibovespa futuro inicia esta quinta-feira (7) entre altas e baixas, acompanhando os mercados no exterior, que também operam sem tendência definida. Os investidores sequem acompanhando o desenrolar da guerra na Ucrânia, monitoram os próximos passos do Banco Central dos Estados Unidos em seu ciclo de alta de juros e também notícias que possam mudar as perspectivas de inflação global. O petróleo volta a subir e minério de ferro cai.

Às 9j16 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro para abril recuava 0,3%, aos 117.980 pontos.

Hoje pela manhã, a Rússia rejeitou um esboço de acordo proposto pelos ucranianos. O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse hoje pela manhã que segue conversando com a Ucrânia e que o governo de Vladimir Putin deve fazer um próprio esboço de acordo.  Lavrov também fez críticas, afirmando que os Estados Unidos estimulam a Ucrânia ao conflito.  A comunidade internacional segue condenando as atrocidades na Ucrânia e as últimas sanções impostas à Rússia devem seguir repercutindo.

As cotações do petróleo se recuperam da queda de ontem, quando recuaram mais de 5%, registrando a maior baixa em três semanas. A liberação de reservas da matéria-prima, para compensar o embargo ao petróleo da Rússia, não foi suficiente para manter os preços em baixa. Para os analistas, mesmo com a liberação de estoques, a oferta de petróleo segue restrita. Os preços do minério, por sua vez, operam em forte baixa. 

O  barril do WTI subia 2,3%, a US$ 98,44 e o do Brent avançava 1,96%, a US$ 103,05. O preço do minério de ferro na Bolsa chinesa de Dalian recuou 3,02%.

Os futuros em Nova York operam em leve alta, ensaiando recuperação. Hoje, os investidores devem continuar repercutindo o tom mais hawkish da ata do Federal Reserve e tentando antecipar os próximos movimentos da autoridade monetária.

O mercado deve monitorar discurso de James Bullard, um dos diretores que votaram por uma alta de 0,5 ponto percentual na última reunião do Fed. Também são esperados pronunciamentos de outros três Fed Boys nesta quinta-feira: Charles Evans, Raphael Bostic e John Williams.

O Dow Jones futuro tinha ligeira alta de 0,01%. Os futuros do S&P 500 e da Nasdaq subiam, respectivamente, 0,14% e 0,29%.

Na Europa, as Bolsas avançam, após o tombo de ontem. Hoje é o Banco Central Europeu que deve divulgar a minuta do seu último encontro – a autoridade monetária europeia também começa a endurecer seu discurso sobre o cenário inflacionário.

O dia começou com dados de vendas de varejo na Zona do Euro, que avançaram 0,3% em fevereiro, na comparação mensal, abaixo do esperado pelo mercado (o consenso apontava para um avanço de 0,6%). A produção industrial da Alemanha avançou 0,2% em fevereiro, na comparação mensal. O número veio de acordo com expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.

O dólar comercial abriu em queda, mas agora opera com ligeira alta de 0,07%, a R$ 4,717 na compra e a R$ 4,718 na venda.

Os juros futuros abriram em queda: DIF23, -0,03 pp, a 12,71%; DIF25, -0,05 pp, a 11,39%; DIF27, -0,04pp, a 11,16%; e DIF29, -0,01 pp, a 11,27%.

Análise técnica por Pamela Semezatto, analista de investimentos e especialista em day trader da Clear Corretora

Ibovespa

Segue no movimento de correção e o candle de ontem mostra que perdeu um pouco a força na queda, ainda cedo para falar em retomada da tendência de alta, mas se mantem acima do suporte de 115.000 sem continuidade muito forte na queda.

Dólar

Ontem fechou em alta de 1,41% depois da barra de reversão, ainda considero como movimento de repique dentro da tendencia de baixa e se aproxima de uma resistencia (nao muito forte) em 4.770.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe