Comentário diário

Ibovespa Futuro cai com inflação acima do esperado nos EUA; dólar segue em queda

Pré-market indica dia de leves baixas na Bolsa após a forte alta da sexta-feira

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro opera em queda nesta sexta-feira (16) faltando menos de uma semana para a decisão do Fomc (Federal Open Market Committee), com os investidores repercutindo os dados acima do esperado da inflação nos Estados Unidos. O CPI (Índice de Preços ao Consumidor, na sigla em inglês) avançou 0,2% em agosto, contra estimativas de aumento de 0,1%. Por aqui, no cenário político, o presidente Michel Temer, que ontem ganhou o apoio do “centrão” para aprovar as medidas do ajuste fiscal, vetou totalmente o reajuste dos defensores públicos. 

Às 9h36 (horário de Brasília), o contrato futuro do índice para outubro caía 0,57%, a 57.970 pontos. Já o dólar futuro para o mesmo mês registra perdas de 0,14% a R$ 3,315. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2018 tem baixa de 3 pontos-base a 12,59%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 tem desvalorização de 1 ponto-base a 12,09%. 

Entre as commodities, o petróleo tem queda de 1,57% a US$ 43,22 o barril do WTI (West Texas Intermediate), enquanto o contrato futuro do barril do Brent recua 1,49% a US$ 46,36. 

Vale lembrar que hoje é dia de vencimento quádruplo nas bolsas de Nova York, o que deve gerar volatilidade um dia após o otimismo nos pregões com a renovada perspectiva de que o Federal Reserve atrase o aperto monetário nos EUA. 

Agenda política
Em destaque na agenda política de hoje, após o apoio do “centrão” está o veto integral de Michel Temer para o projeto de lei que dava reajuste de 60% nos salários dos defensores públicos da União, informou o Diário Oficial da União desta sexta-feira, em um recuo de decisão anterior do presidente de aplicar um veto parcial à medida. “O projeto de lei contempla, para os anos seguintes, percentuais muito superiores aos demais reajustes praticados para o conjunto dos servidores públicos federais; ademais, situam-se em patamar acima da inflação projetada para o período, bem como abrigam regra de vinculação remuneratória, em dissonância à política de ajuste fiscal que se busca implementar”, segundo razões para o veto.

Além disso, destaque para o presidente do Banco Central Ilan Goldfajn se reúne com grupos de investidores liderados pela Platina Investimentos e pelo HSBC pela manhã, e com Arminio Fraga à tarde; todos encontros na sede do BC no Rio de Janeiro. 

Agenda internacional
O CPI dos Estados Unidos apresentou avanço de 0,2% em agosto, contra 0,1% esperado pelos economistas ouvidos pela Bloomberg. O núcleo da inflação ao consumidor (excluindo-se alimentos e energia), por sua vez, cresceu 0,3%, contra uma expectativa mediana de 0,2% de expansão.  

Ainda nesta sexta o índice FTSE fará rebalanceamento, reduzindo sua participação em BRF (BRFS3), em US$ 157,2 milhões, gerando uma pressão vendedora equivalente ao volume médio somado de 4,6 dias segundo cálculo do Credit Suisse. 

Especial InfoMoney
O InfoMoney traz nesta sexta-feira uma análise especial sobre as ações da GerdauRechaçada nos últimos anos pelo mercado, a siderúrgica ganhou manchetes no InfoMoney nas mãos do trader profissional Wagner Caetano. Enquanto muitos analistas fundamentalistas e gráficos seguiam cautelosos com as ações – uma das que mais caíram na Bolsa em 2015 -, ele montou uma posição vencedora em 100.000 ações GGBR4. Na época, o papel valia cerca de R$ 3,50; meses depois, já era cotado a quase R$ 10,00. Mas qual é o futuro das ações da companhia? Confira às 9h40 no blog O Investidor de Sucesso.

PUBLICIDADE

Noticiário corporativo
A Vale fez uma captação de US$ 1 bilhão junto a um grupo de bancos, garantindo o empréstimo com embarques de minério de ferro para a Glencore, informou a Bloomberg citando pessoas com conhecimento do assunto. Já a OdontoPrev informou que seu conselho aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio no valor total de R$ 11.336.136,30, enquanto a CPFL Renováveis fará uma nova emissão de debêntures em um valor total de R$ 400 milhões. Por fim, a Eternit elegeu Luiz Barsi Filho como presidente de seu conselho. Confira mais detalhes clicando aqui.

    Cenário externo
    O dia é de queda para as bolsas mundiais após uma recuperação na véspera. As bolsas europeias caminham para baixa semanal e S&P futuro recua, enquanto investidores seguem atentos a perspectivas sobre juros e estímulos dos BCs. O FOMC e BOJ reúnem-se na próxima semana. A chance de alta dos juros do Fed caíram para menos de 50% este ano após dados americanos abaixo do previsto esta semana; para a próxima reunião, os economistas esperam que Fed mantenha juros semana que vem, mas fortalecendo a sinalização de alta. Já a China tem o segundo dia de feriado.

    Entre os dados econômicos, os salários na zona do euro aumentaram no ritmo mais fraco em quase seis anos no segundo trimestre, evidenciando a fragilidade da recuperação econômica do bloco e surgindo como mais uma preocupação para os dirigentes do Banco Central Europeu (BCE). Dados da agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat, mostraram que os salários na zona do euro subiram apenas 0,9% no segundo trimestre ante igual período do ano passado, registrando o menor avanço desde o terceiro trimestre de 2010. Nos primeiros três meses do ano, os salários haviam crescido 1,7% na comparação anual.

    O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura.

    Assista ao vivo à programação da InfoMoney TV: 

    [livestream url=”https://livestream.com/accounts/7176272/events/2767025/”]