Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Ibovespa Futuro acompanha NY e opera em baixa; discussão da MP da reoneração segue no radar

Desemprego na Zona do Euro e balança comercial americana são destaques no exterior

Felipe Moreira

B3 Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O Ibovespa Futuro opera em queda nesta terça-feira (9), acompanhando o pré-mercado americano, em dia de agenda doméstica esvaziada.

No campo político, as atenções se concentram na reunião do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), com líderes partidários, hoje, às 10h. A expectativa é que eles discutam a MP da reoneração da folha de pagamento.

Na véspera, o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), indicou que a MP pode ser alterada durante sua tramitação no Congresso, e defendeu que ela seja discutida para se chegar a um texto de consenso.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Às 9h11 (horário de Brasília), o índice futuro com vencimento em fevereiro operava com baixa de 0,71%, aos 133.085 pontos.

Em Wall Street, índices futuros operam em baixa, com as taxas de juros subindo, apagando parte dos ganhos da véspera impulsionado pelas ações de tecnologia.

Nesta manhã, o Dow Jones Futuro caía 0,42%, S&P Futuro recuava 0,03% e Nasdaq Futuro registrava baixa de 0,38%.

Dólar hoje

O dólar comercial operava com alta de 0,25%, cotado a R$ 4,883 na compra e na venda. Já o dólar futuro (DOLFUT) avançava 0,26%, indo aos 4.897 pontos.

Enquanto isso, DXY, índice que mede a força do dólar perante à uma cesta de moedas, opera com alta de 0,25%, a 102,47 pontos.

No mercado de juros, os contratos operavam em alta. O DIF26 subia 0,04 pp, a 9,76; DIF27, +0,03 pp, a 9,89%; DIF28, +0,04 pp, a 10,14%; DIF29 +0,04 pp, a 10,30%.

Exterior

Os mercados europeus operam em baixa, com investidores digerindo dados fracos da indústria alemã, enquanto repercutem os dados de desemprego na zona do euro. A taxa foi para 6,4% em novembro, ante projeção de 6,5%.

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta, com destaque para o Nikkei, do Japão, que atingiu seu valor mais alto em 33 anos, impulsionado principalmente por ações de tecnologia.

Commodities

Os preços do petróleo operam com alta, revertendo parte das perdas da sessão anterior, com os mercados pesando as tensões no Oriente Médio contra as preocupações com a demanda e o aumento da oferta da OPEP.

Já as cotações do minério de ferro na China fecharam em baixa pela quarta sessão consecutiva, uma vez que as siderúrgicas chinesas permaneceram cautelosas na reposição de estoques antes do feriado em meio à fraca demanda por aço.