Bolsa

Ibovespa consolida alta após início de pregão nos EUA

Índice mostrava algum poder de reação logo após os norte-americanos publicarem novos dados sobre a economia do país

arrow_forwardMais sobre

*Atualizada às 13h00 (horário de Brasília)

SÃO PAULO – No início da tarde desta quinta-feira (13), quando as bolsas norte-americanas iniciaram as negociações, o Ibovespa deixa as perdas da manhã para trás e, às 12h58, passa a registrar alta de 0,47%, aos 59.755 pontos, apesar do pregão norte-americano ser de leve queda.

As ações que marcam as maiores altas do índice estão todas próximas às suas máximas do dia. As da JBS (JBSS3) disparam 5,96%, aos R$ 5,87, com uma possível retirada do embargo russo às carnes brasileiras, assim como as da Hypermarcas (HYPE3) disparam 3,91%, aos R$ 16,23 e as preferenciais da Usiminas (USIM3, USIM5) saltam 3,81%, para R$ 13,63.

Outros papéis relevantes para o índice, como os dos bancos Bradesco (BBDC3, +1,03%, R$ 36,21) e Banco do Brasil (BBAS3, +0,96%, R$ 23,12) – representam cerca de 6% do Ibovespa – mostravam queda durante a manhã e agora mostram ligeira alta.

Indicadores nos EUA
Desde as 11h30 (horário de Brasília), quando os EUA divulgaram uma série de indicadores econômicos, que o Ibovespa mostrava alguma reação. O país revelou que os pedidos de auxílio-desemprego na semana terminada no dia 8 vieram melhores que as expectativas – o número de 343 mil é inferior aos 375 mil projetados.

Já as vendas no varejo, com alta de 0,3% em novembro, vieram praticamente em linha com o avanço de 0,4% projetado. Os preços ao produtor recuaram 0,8%, uma queda um pouco mais forte do que se estimava, em 0,5%.

Para o restante do dia, os EUA anunciarão os estoques das empresas às 13h00. A expectativa é que o número cresca 0,4%, contra o 0,7% de alta em setembro.