Ibovespa cai com incerteza pela Europa e dado menor que o esperado nos EUA

ADP Employment registra menor criação de emprego do que projeções; Petrobras e Vale voltam a pressionar o índice

Por  Renato Rostás

SÃO PAULO – Com um dado de emprego decepcionante nos Estados Unidos e novamente pressionado pela fraca performance das blue chips, o Ibovespa registra uma baixa de 0,92%, atingindo 63.694 pontos na manhã desta quarta-feira (4), após a abertura do pregão regular.

O cenário negativo se intensificou após a prévia do relatório de emprego dos EUA. Segundo informações do ADP Employment, o setor privado criou 209 mil novos postos de trabalho em março. O número foi menor do que a expectativa do mercado – projeções coletadas pelo portal norte-americano Briefing apontavam para 217 mil.

Enquanto isso, na Europa, o BCE (Banco Central Europeu) decidiu manter sua taxa de juro em 1% ao ano, durante a reunião de política monetária. Durante discurso após o encontro, o presidente da instituição, Mario Draghi, afirmou que o financiamento aos bancos está melhorando, mas que medidas de alívio são todas temporárias.

De olho na PDG
No front corporativo, os investidores devem voltar suas atenções à PDG (PDGR3), que divulgou os resultados não auditados de 2011. Durante o quarto trimestre do ano, a companhia acumulou prejuízo líquido de R$ 20,37 milhões, revertendo o lucro líquido de R$ 202,8 milhões obtido no mesmo período de 2010.

Além disso, a empresa revisou para baixo sua projeção de guidance de lançamentos para 2012, indo de uma margem entre R$ 9 bilhões e R$ 11 bilhões para uma banda entre R$ 8 bilhões e R$ 9 bilhões. Os papéis da construtora operam com queda de 2,68%, figurando entre as maiores desvalorizações do índice, cotados a R$ 5,80.

Ações após a abertura
Dentre os papéis que são negociados nesta manhã, destaque para as ações ordinárias da Usiminas (USIM3, R$ 18,00, -3,95%),  GOL (GOLL4, R$ 11,39, -3,80%),  Vanguarda Agro (VAGR3, R$ 0,41, -2,38%) e Rossi  (RSID3, R$ 9,39, -2,19%).

O índice também é novamente pressionado pela performance negativa dos papéis da Vale (VALE3, R$ 42,38, -1,49%; VALE5, R$ 41,30, -1,29%) e da Petrobras (PETR3, R$ 23,33, -1,23%; PETR4, R$ 22,31, -1,06%), que juntas têm grande peso na carteira teórica do benchmark.

Dados do dia
Por aqui, o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) mostrou que os preços na capital paulista subiram 0,15% na última semana de março. O patamar foi de aceleração frente à medição imediatamente anterior. Na Zona do Euro, o PMI (Purchasing Managers’ Index) composto registrou queda, de 49,1 pontos para 48,7.

Agora, o mercado fica na expectativa do ISM (Institute for Supply Management) de serviços nos EUA, que será revelado às 11h. Durante a jornada, ainda haverá uma fala do presidente do Fed de São Francisco, John Williams. Às 12h30, o Banco Central do Brasil comunica o fluxo cambial da semana.

Compartilhe