Bolsa

Ibovespa acelera queda com petróleo e realização do rali do impeachment; dólar sobe

Mecado mostra desempenho errático entre política e queda do petróleo; começam expectativas por Senado

SÃO PAULO – O Ibovespa vira para forte queda nesta segunda-feira (18), com a queda do petróleo e a realização de ganhos pós-votação do impeachment se sobrepondo à alta das bolsas americanas. No cenário doméstico, os investidores refletem a vitória do impeachment na Câmara dos Deputados. Foram 367 votos a favor e 137 contra, com 7 abstenções e duas ausências. Agora o processo vai para o Senado, onde caso seja aprovado por maioria simples em comissão especial do impeachment, resultará em afastamento da presidente Dilma Rousseff por 180 dias. O senador Romer Jucá (PMDB-RR), disse que o afastamento pode ocorrer em 15 dias. 

Às 15h41 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa brasileira tinha queda de 0,93%, a 52.731 pontos. Já o dólar comercial tem alta de 1,31% a R$ 3,5702 na venda, enquanto o dólar futuro para maio dispara 0,92% a R$ 3,579, depois do Banco Central vender 68.840 contratos de 80.000 possíveis de swap reverso. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 cai 14 pontos-base a 13,48%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 recua 26 pontos-base a 12,85%. 

Segundo o sócio-gestor da Queluz, Rodrigo Otávio Marques, o movimento atual é o clássico sobe no boato e realiza no fato, que no começo da manhã foi potencializado pela queda do petróleo. “O potencial que a gente tem de divergir do cenário de commodities é limitado”, afirma. Ele acredita que a Bolsa deve ter mais dois dias de fraqueza por causa disso e das preocupações com o futuro da economia sob um eventual governo do vice-presidente Michel Temer. 

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 11,76, -1,76%; PETR4, R$ 9,27, -4,33%), seguem em queda, descolando-se dos preços do petróleo. O barril do WTI (West Texas Intermediate) cai 1,41% a US$ 39,79, ao mesmo tempo em que o barril do Brent tinha perdas de 0,65% a US$ 42,77. Em relatório, analistas do Bank of America Merrill Lynch disseram que a Petrobras poderá acelerar desalavancagem se real se fortalecer e preços domésticos de gasolina e diesel ficarem inalterados. A estatal vende atualmente gasolina/diesel com prêmio de 29%/53% em relação ao preço dos EUA. Se real se valorizar para R$ 3,00/dólar, prêmio subirá para 52% na gasolina e 80% no diesel, avaliam. O banco elevou o preço-alvo de PETR3 de R$ 12,40 para R$ 14,40. 

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 LAME4LOJAS AMERICPN15,35-5,83
 GGBR4GERDAU PN7,49-4,59
 GOAU4GERDAU MET PN2,72-4,56
 PETR4PETROBRAS PN9,28-4,23
 BVMF3BMFBOVESPA ON16,39-4,15

 

Já a Vale (VALE3, R$ 18,97, +1,99%; VALE5, R$ 14,47, +1,26%) vira para alta, seguindo o movimento do minério de ferro. A commodity spot com 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao teve alta de 3,57% a US$ 60,36.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 SUZB5SUZANO PAPELPNA13,05+4,23-30,1845,29M
 MRVE3MRV ON12,19+2,44+40,4427,97M
 BRKM5BRASKEM PNA ED25,22+2,31-3,4525,54M
 SMLE3SMILES ON41,46+2,24+19,1420,91M
 VALE3VALE ON18,98+2,04+45,66101,52M

Entre as altas estavam as exportadoras de papel e celulose. Fibria (FIBR3, R$ 31,68, +1,80%) e Suzano (SUZB5, R$ 13,05, +4,23%) operam com fortes ganhos por conta do desempenho positivo do dólar. Por possuírem suas receitas na moeda norte-americana, essas empresas têm as suas rentabilidades elevadas quando há valorização da divisa dos EUA ante o real.

PUBLICIDADE

Relatório Focus
Também tinha algum peso por aqui o Relatório Focus, com a mediana das projeções de diversos economistas, casas de análise e instituições financeiras para os principais indicadores macroeconômicos. A previsão para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2016 foi cortada de 3,77% para 3,80%. Já no caso do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é o medidor oficial de inflação utilizado pelo governo, as projeções são de que haja um avanço de 7,08% este ano, contra 7,14% projetados anteriormente.

PT aprecia proposta de novas eleições
O governo não reagiu ontem (nem Lula), um pouco surpreendido pelo que aconteceu, um pouco pela hora em que o desenlace se deu. Hoje o Palácio do Planalto deve se manifestar. Dilma deve fazer uma pronunciamento. E pode vir com um troco pesado. Desde sexta-feira circulam informações de que Dilma, diante da derrota, poderá anunciar a decisão de patrocinar uma proposta de emenda constitucional, marcando eleições gerais para outubro. Novo “diretas já”. 

Temer diz que o mais difícil vem agora
Ontem, o vice-presidente Michel Temer comemorou a admissibilidade do processo no Palácio do Jaburu com a sua equipe, conforme informa a Folha de S. Paulo. Contudo, ele disse ser preciso aguardar o Senado acatar a decisão da Câmara e afirmou a assessores que “o que nos espera é uma grande responsabilidade”. De acordo com o jornal, o vice orientou auxiliares a evitar comemorações efusivas e pediu moderação. Ele lembrou a todos que “agora é que vem a parte mais difícil”, referindo-se ao desafio de assumir num período de forte recessão.

Lula pode chegar em 2018 como oposição
Interlocutores do ex-presidente avaliam que, apesar da derrota, Lula ainda pode se beneficiar com o afastamento de Dilma e chegar a 2018 como candidato de oposição. Lula ainda não decidiu se vai disputar a Presidência pela sexta vez, diz o Instituto que leva seu nome. Porém, os sinais são cada vez mais fortes; Rui Falcão, presidente do PT, já disse que Lula se colocou à disposição para viajar o País ainda este mês.

Cenário externo
As bolsas asiáticas caíram nesta segunda-feira, com o tombo dos preços do petróleo afetando a confiança dos investidores, com preocupações de que sete semanas de altas do mercado chinês podem não ser sustentáveis também prejudicando a confiança no país.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 1,34%, enquanto o índice de Xangai teve baixa de 1,43%. Dezoito países exportadores de petróleo, incluindo os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), se reuniram em Doha, capital do Catar, no fim de semana em uma tentativa de chegar a um acordo para manter a produção nos níveis de janeiro até outubro deste ano. O pacto fracassou após a Arábia Saudita exigir que o Irã participasse. 

O índice japonês Nikkei terminou com queda de 3,4%, com os investidores e empresas avaliando o impacto dos terremotos devastadores na ilha de Kyushu sobre as cadeias de fornecimento das indústria.

Especiais InfoMoney:

PUBLICIDADE

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; 5 novos papéis entraram no portfólio de abril

Trader que perdeu R$ 285.000 com Telebras conta como deu a volta por cima

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa