Abertura

Ibovespa vira para alta após Trump dizer que acordo comercial com China está “muito próximo”

Mais cedo, Xi Jinping disse que seu país quer trabalhar em direção a um acordo comercial de primeira fase “com base no respeito mútuo e na igualdade”

SÃO PAULO — O Ibovespa abriu no vermelho nesta sexta-feira (22), mas em seguida virou para alta após o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmar que um acordo comercial com a China está “muito próximo”.

Em entrevista ao programa “Fox and Friends”, da rede americana Fox, Trump afirmou que um acordo com a China está “potencialmente muito próximo”. Ele afirmou ainda que muita gente teria morrido nos protestos de Hong Kong não fosse por ele, porque o presidente chinês Xi Jinping “não iria querer arruinar as conversas sobre o acordo comercial.”

Mais cedo, Xi Jinping disse que seu país quer trabalhar em direção a um acordo comercial de primeira fase com os EUA “com base no respeito mútuo e na igualdade”.

PUBLICIDADE

“Não iniciamos esta guerra comercial e isso não é algo que queremos”, reiterou Xi em uma reunião de sexta-feira com visitantes internacionais em Pequim, incluindo o ex-secretário de Estado dos EUA, Henry Kissinger, segundo a Bloomberg.

“Quando necessário, revidaremos, mas temos trabalhado ativamente para tentar não ter uma guerra comercial”, disse o presidente chinês.

Se os dois lados não chegarem a um acordo, o presidente americano Donald Trump já sinalizou que, em 15 de dezembro, os EUA podem impor novas tarifas, de 15%, a cerca de US$ 160 bilhões em compras da China.

Às 11h07 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 0,36%, a 107.880 pontos. No mesmo horário, o dólar comercial caía 0,272%, para R$ 4,1801 na compra e R$ 4,1813 na venda.

No mercado de juros futuros, os contratos de DI tinham queda, uma reação ao IPCA-15 de novembro abaixo das estimativas.

O IPCA-15 do IBGE, considerado uma prévia da inflação oficial, subiu 0,14% em novembro. As estimativas para o indicador, segundo a Bloomberg, apontavam para uma alta de 0,16%.

PUBLICIDADE

A queda das taxas dos contratos de DI interrompe o movimento de alta visto nos últimos dias e que anulou a aposta da Selic abaixo de 4,5%.

Essa nova visão do mercado vem sendo construída com sinais de retomada da atividade, câmbio na casa dos R$ 4,20 e após falas do presidente do BC, Roberto Campos Neto, ao longo dessa semana.

Às 11h07, o DI para janeiro de 2021 caía dois pontos-base, para 4,68%, e o DI para janeiro de 2023 caía um ponto, para 5,87%.

O mercado aguarda pelos números do índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês), às 11h45, de manufatura e serviços nos EUA. Às 12h00, será publicada a pesquisa do sentimento do consumidor de Michigan e, às 13h00, o índice de atividade do Fed de Kansas City.

Noticiário corporativo

No noticiário corporativo, o Itaú Unibanco Holding confirmou que que sua controlada Banco Itaucard foi autuada pela prefeitura de São Paulo por suposta infração à legislação tributária do município por não ter recolhido ISS aos cofres públicos municipais em relação às atividades de cartão de crédito e leasing desenvolvidas pela Itaucard. As ações do banco caíam 0,03% às 11h07, para R$ 35,48.

A Petrobras (PETR3, PETR4) também chamava atenção no dia após ter informado que celebrou com a empresa Proquigel Química S.A., empresa integrante do Grupo Unigel, contratos de arrendamentos das suas fábricas de fertilizantes na Bahia (Fafen-BA) e em Sergipe (Fafen-SE), no valor total de R$ 177 milhões para um período de 10 anos, prorrogáveis pelo mesmo período.

A estatal também informou que iniciou a fase vinculante referente à primeira etapa da venda de ativos em refino e logística associada no país, que inclui as refinarias Abreu e Lima (RNEST) em Pernambuco, Landulpho Alves (RLAM) na Bahia, Presidente Getúlio Vargas (REPAR) no Paraná e Alberto Pasqualini (REFAP) no Rio Grande do Sul e seus ativos logísticos correspondentes.

As ações preferenciais da Petrobras subiam 0,64% às 11h07, para R$ 30,03. Já os papéis ordinários da estatal ganhavam 0,53%, para R$ 32,25. Mais cedo, os papéis registravam perdas de mais de 0,5%.

A Braskem (BRKM5) anunciou a indicação do seu atual presidente do Conselho de Administração, Roberto Simões, como o novo Diretor Presidente da Companhia a partir de 1º de janeiro de 2020. Fernando Musa permanecerá como Diretor Presidente, apoiando a transição, até 31 de dezembro de 2019. As ações da empresa subiam 2,50% às 11h07, para R$ 28,27.

Já a CVC (CVCB3) concluiu, por meio da Submarino Viagens, a compra da Santa Fe Investment BV, holding do grupo Almundo, constituída na Holanda, pelo valor US$ 74,775 milhões. A empresa está no radar dos investidores desde quando divulgou seu balanço do terceiro trimestre, que surpreendeu negativamente. Às 11h07, as ações da empresa subiam 1,50%, a R$ 41,87.

As ações da Log-In (LOGN3)) chegaram a cair 15% na abertura e entraram em leilão em seguida. Às 11h07, perdiam 6,04%, a R$ 17,25. A empresa fixou o preço por ação de sua oferta pública de distribuição primária no valor de R$ 14,50, que deverá somar R$ 551 milhões. Dessa forma, o efetivo aumento do capital social será de 38 milhões de ações. O início da negociação das ações será em 25 de novembro.

Quem também anunciou a precificação das ações de sua oferta foi a BR Properties (BRPR3). Ela fixou o preço de sua oferta primária em R$ 12,50 por ação, mediante a emissão de 84.375.000 novas ações ordinárias, perfazendo uma oferta no montante total de R$ 1,054 bilhão.

O início das negociações na B3 das novas ações acontece a partir de 25 de novembro. Os papéis da companhia subiam 2,72%, às 11h07, para R$ 13,20.

(Com Agência Estado, Agência Brasil, e Bloomberg)

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos