Bolsa

Ibovespa abre em alta, impulsionado por indústria na China

Atividade industrial no país mostra melhora neste mês; Prévia do PIB, publicada pelo Banco Central, avança 0,36% em outubro

Colored ticker board on black

SÃO PAULO – O Ibovespa dá início ao pregão desta sexta-feira (14) em alta de 0,35%, aos 59.523 pontos, segundo dados das 10h08 (horário de Brasília), após a China anunciar dados sobre a produção industrial que reforçam a trajetória de recuperação do país.

Mais cedo, o HSBC divulgou que o PMI (Purchasing Manager’s Index) do país passou de 50,5 em novembro para 50,9 em dezembro, segundo dados prévios. Números acima de 50 indicam expansão da atividade industrial. Nessa sexta-feira o índice Shanghai Composite disparou 4,3% e alcançou sua melhor pontuação desde outubro de 2009.

As maiores altas do Ibovespa ficam por conta das ações da V-Agro (VAGR3, R$ 0,39, +2,63%), JBS (JBSS3, R$ 5,99, +2,57%), Braskem (BRKM5, R$ 13,28, +2,15%), Gafisa (GFSA3, R$ 4,78, +1,92%) e MMX Mineração (MMXM3, R$ 4,33, +1,88%).

O principal índice da bolsa paulista fechou o pregão de quinta-feira em leve baixa de 0,27%, atingindo 59.316 pontos e uma alta acumulada de 4,51% no ano. O volume financeiro foi de R$ 7,43 bilhões. 

Por aqui o IBC-Br, dado divulgado pelo Banco Central e considerado como uma prévia do PIB (Produto Interno Bruto), mostrou alta de 0,36% em outubro. Segundo a Rosenberg, o número foi melhor do que o esperado pela consultoria, que projetava uma alta de 0,1%.

Atenção para agenda dos EUA
Na Europa o PMI Composto, que mede a atividade tanto da indústria quanto do setor de serviços, avançou de 46,5 para 47,3. Apesar do número abaixo de 50 ainda indicar contração, o número é uma sinalização de que o cenário para o próximo ano pode ser melhor, escreve em relatório Chris Williamson, economista-chefe do Markit.

A agenda norte-americana para essa sexta-feira também é movimentada. Às 11h30 (horário de Brasília), os EUA publicam o CPI (Consumer Price Index) de novembro, e às 12h15 eles anunciarão a produção industrial e a capacidade utilizada para o mesmo mês.

Vale prestar atenção, ainda, para os frigoríficos. Na véspera a China se juntou à África do Sul e ao Japão e também parou de importar carne brasileira, por conta de uma fêmea bovina que morreu em 2010 com um agente causador do mal da vaca louca. O governo brasileiro informou que enviará uma missão a esses três países para esclarecer sobre o caso.