IBC-Br aponta para possível revisão para baixo do PIB no início de 2011, diz Barclays

Crescimento econômico pode replicar tendência do índice; então, projeção de crescimento de 1,4% no período seria reduzida

SÃO PAULO – A redução mostrada no IBC-Br (Índice Mensal de Atividade do BC) de dezembro, divulgado pelo Banco Central nesta quarta-feira (16), aponta para uma atividade econômica mais fraca no início de 2011, segundo avaliação do Barclays. O banco acredita que a previsão para o crescimento da economia neste ano pode precisar ser revista para baixo caso a tendência do índice se confirme.

Desde outubro, o IBC-Br mostra um avanço cada vez mais contido – de 0,5% no mês de outubro, para 0,3% em novembro e 0,1% em dezembro. As seguidas desacelerações, combinadas com indicadores de produção industrial menores em janeiro, apontam para uma atividade em menor ritmo. 

O Barclays afirma que a tendência do IBC-Br pode ser replicada nos números reais de crescimento da economia e também nos indicadores da indústria (o banco prevê queda na atividade industrial de 0,4% na passagem para janeiro). Neste caso, “a previsão de crescimento real de 1,4% para o PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre de 2011 poderia ser otimista demais”.

Revisão
O desempenho previsto para a economia brasileira no primeiro trimestre de 2011 poderia começar a sofrer revisões para baixo, ainda que com perspectivas macroeconômicas positivas relacionadas ao mercado de trabalho e ao crédito. “Mesmo com os drivers de consumo ainda fortes, os dados iniciais sobre atividade apontam para números mais suaves nos próximos meses”, prevê o Barclays.