Temporada de balanços

Hidrovias do Brasil (HBSA3) reverte lucro e tem prejuízo de R$ 187 milhões no quarto trimestre

Segundo companhia, desempenho foi abalado por efeito negativo de hedge accounting e por variação cambial

Por  Felipe Moreira

A Hidrovias do Brasil (HBSA3) registrou prejuízo líquido de R$ 187 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), revertendo lucro líquido de R$ 38,3 milhões de igual etapa de 2020, explicado primordialmente pelo efeito negativo do hedge accounting e da variação cambial, ambos sem efeito caixa e pelo resultado abaixo do potencial da companhia com impossibilidade de navegação em boa parte do trimestre no Corredor Sul.

O volume total movimentado pela companhia no 4T21 foi de 2,2 milhões de toneladas, com destaque para a retomada do volume de bauxita – que cresceu 61,6% após complicações no píer de descarregamento do cliente durante os nove primeiro meses de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado caiu 38,1% no último trimestre do ano passado, totalizando R$ 87,6 milhões.

Já a margem Ebitda ajustado atingiu 39,1% no período, um recuo de 9,4 ponto percentual frente a margem registrada em 4T20.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 82,8 milhões no quarto trimestre de 2021, uma elevação de 182,2% sobre as perdas financeiras do mesmo trimestre de 2020, em função da apreciação do real e aumento das despesas financeiras.

A receita líquida ajustada somou R$ 224,2 milhões entre outubro e dezembro do ano passado, uma retração de 24,4% na comparação com igual etapa de 2020, com crescimento expressivo de 20,2% no corredor Norte, reflexo do incremento real de tarifa apresentado durante todo o ano de 2021, bem como da força dos contratos no modelo “take or pay” – que garantiram resultados consistentes, compensando parcialmente o resultado abaixo do potencial real obtido no Corredor Sul dado a impossibilidade de navegação por cerca de 2 meses e meio nos quarto trimestre.

O CAPEX consolidado do 4T21 foi de R$ 237,6 milhões, crescimento de 140% no valor investido em relação ao 4T20, sendo que apenas R$ 51,7 milhões foram destinados para manutenção, que passou a contar com uma base de ativos maiores desde o 2T21 com a aquisição da Imperial Logistics.

A Hidrovias Brasil encerrou o trimestre com geração de R$ 112,4 milhões de caixa operacional, contra geração de R$ 131,2 milhões em 2020, com impacto de Ebitda abaixo do potencial no período em função de situações não-recorrentes e não-estruturais, que foram parcialmente compensadas pelos esforços da companhia para otimizar a gestão de capital de giro por meio de cobranças mais efetivas de clientes e redução de adiantamento a fornecedores.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado, ficou em 6,5 vezes em dezembro/21, aumento de 2,2 vezes em relação ao mesmo período de 2020.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe