Helbor (HBOR3) tem lucro consolidado de R$ 45 milhões no terceiro trimestre, alta de 83,8%

Novos projetos apresentam margens melhores e ajudam incorporadora

Ana Paula Ribeiro

Publicidade

A incorporadora Helbor (HBOR3) reportou lucro líquido consolidado de R$ 45 milhões no terceiro trimestre de 2023 (3T23), montante 83,8% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia nesta quinta-feira (9).

Já o lucro líquido da controladora alcançou R$ 8,5 milhões, redução de 15,7% sobre o mesmo período do ano anterior. Segundo a companhia, a redução é explicada pela queda nos resultados, principalmente dos empreendimentos onde a Parte Helbor é mais representativa. Em relação ao 2T23, o resultado da controladora apresentou um aumento de 20,6%.

“Os resultados da companhia continuam apresentando uma tendência positiva, comprovando a evolução do seu novo Ciclo, onde os projetos mais recentes que possuem margens mais robustas estão participando cada vez mais no mix de vendas”, de acordo com o relatório de resultados.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 66,4 milhões no 3T23, um crescimento de 53,7% em relação ao 3T22.

A margem Ebitda atingiu 20,5% entre julho e setembro deste ano, aumento de 4,3 pontos percentuais (p.p.) frente a margem registrada em 3T22.

Leia também:

Continua depois da publicidade

A receita operacional líquida somou R$ 324,6 milhões no terceiro trimestre deste ano, crescimento de 21,7% na comparação com igual etapa de 2022.

A velocidade de vendas medida pelo indicador VSO Total no 3T23 foi de 13,2%, em linha na comparação com o VSO apresentado no mesmo período do ano anterior .

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 7,135 milhões no terceiro trimestre de 2023, uma elevação de 12,3% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2022.

Em 30 de setembro de 2023, a dívida líquida da companhia era de R$ 1,7 bilhão, um cresciment de 27,4% na comparação com a mesma etapa de 2022.

Ana Paula Ribeiro

Jornalista colaboradora do InfoMoney