Hapvida (HAPV3): Por que a ação é a preferida do BBA no setor de saúde?

Lucratividade deve ser impulsionadas por ganhos de eficiência, melhorias na taxa de sinistralidade e taxa de juros mais baixas

Felipe Moreira

Publicidade

As ações da Hapvida (HAPV3) foram eleitas pelo Itaú BBA como as suas preferidas do setor de saúde, com recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado, equivalente à compra), após a instituição incorporar os fortes resultados reportados no segundo trimestre de 2023 (2T23).

A instituição financeira também elevou preço-alvo do papel de R$ 6 ao final de 2023 R$ 7 no final de 2024, o que implica em um potencial de valorização de 57,6% frente a cotação de fechamento da última segunda-feira (11) de R$ 4,44.

Na abertura desta terça-feira (12), as ações da empresa do setor de saúde subiam 2,70%, por volta das 11h, cotadas a R$ 4,55 – entre as maiores altas do dia.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Apesar do fraco desempenho das ações no acumulado do ano (-11%) – o que analistas atribuem mais a fatores macro do que a micro –, a empresa está atualmente sendo negociada a um Preço (P)/ Lucro (L) descontado de 14 vezes em 2024 e 10 vezes em 2025 (incluindo o valor presente líquido de benefícios fiscais relacionados à amortização de ágio).

Isso, na visão de analistas, representa um ponto de entrada atraente para investidores.

HAPV3: cautela permanece em relação às adições líquidas no curto prazo

Conforme o BBA, a Hapvida tem se comprometido a aprimorar a lucratividade por meio da implementação de estratégias como aumento de preços, ajustes em sua rede de provedores de serviços e uma abordagem mais conservadora em relação a novos clientes.

Continua depois da publicidade

Por mais que essas medidas possam prejudicar as perspectivas de crescimento orgânico a curto prazo, BBA acredita que seria injusto assumir que essa tendência persistirá. “Olhando para o futuro, a eficiência da Hapvida no controle de custos deve posicionar a empresa como provedora dos produtos mais acessíveis do setor.”

A instituição enxerga ainda um aumento mais rápido do que o esperado no tíquete médio no 2º trimestre de 2023, aumentos de preços contínuos na segunda metade do ano e uma postura mais otimista em relação aos salários das enfermeiras, como impulsionadores das revisões positivas na MLR (taxa de sinistralidade).

No 3º trimestre de 2023, analistas pontuam que a Hapvida está ajustando atualmente sua rede de provedores de serviços, transferindo credenciamentos de hospitais de terceiros para provedores mais econômicos ou sua própria rede.

Isso pode incorrer em custos duplicados temporariamente, mas todos esses ajustes têm como objetivo melhorar a lucratividade a longo prazo, acrescenta.

Hapvida: Lucratividade e rentabilidade

Mais de um ano após a fusão entre Hapvida e NotreDame, a entidade combinada parece estar colhendo algumas sinergias nos gastos com pessoal, com potencial adicional a ser desbloqueado.

Considerando as recentes revisões no quadro de pessoal e uma próxima onda de centralização de funções de back-office no segundo semestre de 2023, BBA espera que uma parte significativa da expansão da margem do Ebitda (Ebitda sobre Receita) nos próximos 12 meses venha não apenas da normalização da MLR, mas também das eficiências em despesas gerais e administrativas (G&A).

Assim, os resultados mais recentes estão alinhados com a estratégia que a Hapvida compartilhou com o mercado, fortalecendo o otimismo do BBA em relação às perspectivas da empresa.

Após revisar a projeção de lucro líquido para 2023 e 2024 para cima em 52% e 22%, respectivamente, analistas consideram a empresa como tendo um valuation atrativo, negociando a 14x P/E em 2024 e 10x em 2025 (incluindo considerações NPV relacionadas aos benefícios fiscais de goodwill).